Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

FORTALEZA VENCE O FLAMENGO COM COMPETÊNCIA

 FOTO: JL ROSA

 

 

Começamos a nossa análise da partida de ontem  pelo Flamengo, que em momento algum foi a galinha morta que muitos afirmavam ser, especialmente os membros renitentes da imprensa marrom, que é aquela que quando o Fortaleza vence é porque o adversário é fraco e quando perde é porque é ruim.  O Flamengo foi um grande adversário, que jogou com a equipe titular, o que não havia acontecido no embate contra o Confiança, em que atuou com um time misto.

 

O Flamengo de ontem tinha três jogadores de seleções sul-americanas, a começar pelo Guerrero, que deixou patente se tratar de um jogador extremamente desleal. Durante a partida entrou maldosamente e de forma sorrateira e traiçoeira em vários defensores tricolores e sequer foi advertido por um árbitro, conivente e pusilânime, com relação às jogadas violentas praticadas pelo Flamengo, mormente aquelas em que os nossos jogadores eram atropelados por trás.

 

Falamos desse baiano, o Sr. Marielson da Silva que, para não fugir à regra e a máxima de que os mediadores da região ao que parece já vêm preventivamente preparados para dificultar as coisas contra o Tricolor e que deixou de assinalar inúmeras faltas a favor do Fortaleza, especialmente uma em que o Anselmo entrou no mano a mano com o zagueiro, jogou a bola na frente e recebeu uma trombada do defensor flamenguista. Foi muito eficiente, no entanto, quando se tratava de marcar faltas a favor do time carioca.

 

Os que faziam pouco caso do Flamengo, em alguns casos de forma proposital visando atiçar os nervos e incendiar e mexer com os brios do citado time para que esse passasse a odiar o Fortaleza, quebraram a cara ou queimaram a língua, porque o que vimos foi um time com bom toque de bola, com um grande poder ofensivo, que tem um meio de campo bem entrosado, onde despontam os dois estrangeiros,  o Cuellar e o Mancuello, ao lado do William Arão, um volante  moderno, que tem um belo futuro pela frente.

 

Na defesa pontificou os laterais Rodinei e Jorge, muito agudos e que levaram perigo constante à retaguarda tricolor, especialmente pelo lado esquerdo em que o ataque do Flamengo, com o Jorge e o Fernandinho, constantemente, deixava o nosso sistema defensivo em maus lençóis. O Fernandinho numa jogada individual entrou sozinho e chutou por cima do  travessão e noutro lance perigoso, recebeu livre e, do mesmo modo,  chutou por cima. Arriscaria dizer que foi o melhor jogador do Flamengo.

 

Fernandinho e Guerrero se constituíram nos melhores atacantes do Flamengo, o Marcelo Cirino não disse a que veio e o Gabriel, que entrou no segundo tempo, fustigou a nossa zaga pela velocidade, tanto é que pela direita, no final do jogo, cruzou uma bola, que passou por todo mundo, escapando o Tricolor de levar o gol de empate.

 

De uma coisa tenho certeza: Não há como comparar o Flamengo, um time que poderia estar na decisão do Carioca com o Rezende, que pelo que apresentou nos dois confrontos com o nosso rival,  se configurou como uma equipe comum, sem qualquer brilho e que se jogasse com o Fortaleza seria goleada. O resultado de certa forma foi bom para o time carioca, que atuando em casa jogará por um vitória simples.

 

O jogo a bem da verdade foi bastante truncado e estudado e eu até arriscaria dizer que o Fortaleza foi muito cauteloso, ao ceder o campo para o Flamengo, saindo nos contra-ataques, uma boa estratégia, mas que não foi muito eficaz pela falta de um homem de velocidade no ataque tricolor. O Anselmo é muito pesado e o Jean Mota, além de não vir atuando bem nas últimas partidas, é eficiente com a bola no pé, mas não tem velocidade nos deslocamentos, deixando a zaga adversária bastante à vontade.

 

O Fortaleza fez o primeiro gol surgido de um lançamento excepcional do Everton para o Anselmo, que entrou livre e concluiu com perfeição na saída do goleiro, mas depois disso cedeu espaço para o Flamengo, que é um time bom ofensivamente e que de tanto martelar conseguiu o gol de empate, numa jogada em que se sobressaiu a categoria do Guerrero, que é maldo e mal intencionado, mas tem méritos como atacante, tanto é que é o titular absoluto da seleção peruana.

 

Após sofrer o empate o Fortaleza se lançou à frente, passando a acuar o Flamengo no seu campo defensivo e numa boa trama pela direita o Felipe entrou em diagonal, driblou dois defensores flamenguistas e da marca do pênalti, de pé esquerdo, colocou no ângulo da meta flamenguista para fazer um belo gol, que premiou o seu bom futebol e deixou patente que estamos diante de um jogador de personalidade, que não teme diante de grandes adversários. Não é mais uma promessa, é um jogador feito.

 

O Berna fez uma grande partidas, com duas defesas excepcionais no fim do jogo que garantiram o resultado a favor do Tricolor. O Felipe teve muito trabalho, isto porque o Jorge e o Fernandinho, durante a partida inteira trabalharam nas suas costas. Lima e Edimar estiveram impecáveis e temos que ressaltar que enfrentaram um dos melhores ataques do Brasil. O Simões pela esquerda não fez uma boa partida, ficou muito preso na marcação e praticamente não apoiou e ainda com o agravante de não ter tido o trabalho do Felipe.

 

No meio de campo de marcação não gostei do Pio, que faz uma boas jogadas e comete muitos erros por absoluta negligência. O Dudu teve alguns lampejos, mas não deixou patente que pode ser o titular. O Juliano na sua função de marcador jogou bem. No meu ponto de vista o Corrêa tem vaga nesse time. Seria ele e mais dez. O Everton muito marcado, fez algumas boas jogadas, a exemplo do passe que redundou no primeiro gol do Tricolor.

 

O Anselmo fez um belo gol, mas perdeu duas oportunidades claras para marcar e o Jean Mota, como atacante não se houve bem, entrou o Juninho no seu lugar, que é habilidoso, deu mais movimentação ao ataque, mas peca pela falta de velocidade.

 

Foi uma grande vitória, conquistada com dificuldades, mas não poderia ser diferente, posto que o Fortaleza enfrentou um time que merece respeito e que vem subindo de produção à cada jogo. O tricolor não fez uma partida vistosa, dessa que enche os olhos, contudo, em termos estratégicos, ou táticos, esteve perfeito, enfrentou o Flamengo, no mesmo pé de igualdade e pelo que produziu merecia ter vencido por um placar mais dilatado.

 

EFEMÉRIDES –  5 de maio de 2008

Fortaleza 4 x 2 Icasa

Fortaleza bicampeão cearense.

Marcaram para o Tricolor:

Taílson, Paulo Isidoro,  Osvaldo e Rômulo.

Fortaleza -  Tiago Cardoso, Vitor, Juninho e Preto; Simão, Dude (Leandro), Erandir, Paulo Isidoro e Márcio Azevedo (Guto); Rômulo e Taílson (Osvaldo). Técnico -

 

 

Por hoje c’est fini.

 

 Advíncula Nobre

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.