Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

O CLUBE MAIS LAUREADO EM BICAMPEONATOS LUTA PARA CONQUISTAR MAIS UM.

 

 

O Fortaleza enfrentará o Uniclinic no segundo jogo decisivo que apontará o campeão cearense do ano em curso. No Primeiro jogo o Tricolor venceu por 4 x 1 e por força do regulamento joga por dois resultados iguais, tendo, portanto, amealhado uma vantagem considerável para o embate deste domingo, no qual poderá perder por uma diferença de até três gols.

 

Não podemos dizer e afirmar, no entanto,  pois seria contra o bom senso,  que o time já é campeão, porque temos mais noventa minutos pela frente e enfrentando um adversário brioso, que já conseguiu a façanha de superar o nosso rival e de tirá-lo das finais do campeonato, proeza que, por si só, já coloca o Uniclinic como um time a ser respeitado, até porque, ninguém acreditava que isso fosse possível, mas o time foi evoluindo ao longo do campeonato, atingindo à essa invejável posição de destaque.

 

Por tudo isso, até porque presenciamos o treino, o Fortaleza vem se preparando com afinco, isso tudo dentro de um clima de que não tem nada conquistado, que tudo está zero a zero e que a equipe, dentro das quatro linhas tem que buscar a vitória, até para premiar uma campanha que quase não merece reparos e que pode leva-lo a mais um bicampeonato na sua história.

 

O Tricolor tem tudo para brindar a Nação Tricolor, que é uma legião maravilhosa de adeptos, com mais uma conquista, a qual, fiel como sempre foi, por certo lotará o Castelão protagonizando uma festa multicor, de causar inveja aos que estão fora dela. Também, quem mandou ficar de fora?  A incompetência e o insucesso caminham juntos e tudo o que desejamos ao nosso rival, no limiar de mais uma conquista é vida longa, mas com muitas derrotas, para que possa assistir e sem nada poder fazer, como agora, as nossas conquistas que, com a graça de Deus, serão muitas.

 

O Fortaleza já se sagrou ao longo da sua história bicampeão, de forma pura, em 12 oportunidades, que corresponde a 24 títulos e mais embutidos em outras conquistas, em três oportunidades, ou seja, em 2 tricampeonatos e em 1 tetracampeonato, que perfazem mais 6 títulos.  Desse modo, em 30 títulos do Fortaleza temos contidos 15 bicampeonatos, constituindo-o no time cearense que mais conquistou títulos duplos. Para ser ter uma ideia, dos seus 41 títulos somente 11 foram isolados.

 

O Fortaleza foi bicampeão em 1920 e 21; 1923 e 1924; 1933 e 1934 (dez anos de distância de um para o outro); 1937 e 1938; 1946 e 1947; 1953 e 1954; 1959 e 1960; 1964 e 1965; 1973 e 1974; 1982 e 1983; 1991 e 1992 e 2000 e 2001. Tem mais os seguintes bicampeonatos inseridos em outras conquistas: 1926 e 1927 no tri de 1928; 2003 e 2004 no tri de 2005 e 2007 e 2008 no tetracampeonato de 2010.

 

Para mais essa luta por um bicampeonato o Fortaleza chega ostentando a melhor campanha do certame, cujo desempenho é representado por 37 pontos conquistados em 17 partidas que corresponde a um percentual de desempenho de 72,5%. Esses 37 pontos conquistados em 17 jogos lhe dão uma média de  2,17 pontos conquistados por partida, que representam mais de 2 terços dos pontos colocados em disputa, ou seja, de 3 pontos em cada jogo.

 

O seu ataque assinalou 37 gols, que corresponde a um índice de 2,17 gols por partida, um índice elevado compatível com o poderio ofensivo de um clube que, efetivamente, luta pelo cetro máximo. Diria que até aqui o ataque foi o ponto alto do Fortaleza, o que nos remete a outro compartimento, que é o meio de campo, donde inferimos que trabalhou bem, sendo o responsável por arquitetar as jogadas que levaram o ataque a apresentar esse excelente desempenho.

 

A defesa sofreu 17 gols em 17 jogos, que representa uma média de 1 gol por partida, muito elevada para um time de ponta e campeão, vez que a média nacional se situa mais ou menos entre 0,6 gols por partida. Inferimos dessa forma, que a defesa vem sendo o ponto nevrálgico do Tricolor, que precisa melhorar muito, para um campeonato ainda mais difícil que é a Séria C.

 

O Fortaleza conta com o artilheiro do campeonato, o Anselmo, que marcou 11 gols, que representa 1 gol marcado a cada partida e meia. Um boa produção, que poderia ser ainda melhor se não fora as inúmeras oportunidades desperdiçadas, nada a lamentar visto que, desconheço artilheiro, por mais qualificados, a exemplo do Messi e do Cristiano Ronaldo, que não percam gols, a diferença é que a média de desperdícios é maior. O ponto alto é que o Anselmo está ganhando cada vez mais confiança e o gol contra o Flamengo, marcado com calma e categoria corrobora com o nosso ponto de vista.

 

Temos que ressaltar que, mesmo o Fortaleza estando numa posição confortável para esse jogo decisivo, a torcida, pelo que se observou nos postos de venda e pelos número da venda antecipada, em torno de 25.000 ingressos, comparecerá em massa e por certo protagonizará uma festa das mais belas já presenciadas no Castelão. Por essa razão somos apologistas da torcida tricolor, evidentemente da que faz a festa e não da que  é responsável pela prática de atos delituosos. Essa deve ser banida dos estádios.

 

EFEMÉRIDE – Em 7 de maio de 2000 o Fortaleza vencia o nosso rival por 2 x 1 Ceará, no ano em que viria a reconquistar e hegemonia do futebol cearense.

 

Por hoje c’est fini.

 

 

 Advíncula Nobre

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.