Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

ZÉ PAULO - A HISTÓRIA DE UM ÍCONE TRICOLOR

 

 

O Programa Fala Leão de ontem (06 de maio de 2016), veiculado na Rádio Metropolitana, AM 930, das 22 às 23 horas e apresentado por mim e pelo Araújo Coração de Leão,  dentro da sua linha institucional de resgatar a memória de grandes craques do Fortaleza teve a honra de entrevistar um dos maiores zagueiros do Tricolor em todos os tempos, que esbanjava classe e categoria, mas que sabia usar da virilidade quando necessário e que se caracterizou pelo grande amor devotado ao clube e pela raça e fibra que se confundiam com as próprias virtudes do Fortaleza, pois assim como o Tricolor era valente, aguerrido e forte.

 

Falamos Nação Tricolor, do grande Zé Paulo, oriundo das categorias de base do Fortaleza e que substituiu outro grande zagueiro, do qual também eu era fã, o maranhense Sanatiel, possivelmente ainda vivo e residindo em Teresina. Começou nesse ponto a grande responsabilidade do filho do seu Zé Tobias, depois cognominado de “O Touro do Tobias”, e que em pouco tempo,  pelo seu futebol majestoso e categórico,  fez a torcida esquecer o Sanatiel, seguindo vida própria como uma estrela tricolor de primeira grandeza, cujo brilho e fulgor jamais se apagará.

 

Jose Paulo Gomes, mais conhecido como Zé Paulo,  nasceu na cidade de Fortaleza no dia 14 de junho de 1944 e jogou nas décadas de 1960 e de 1970 como zagueiro do Fortaleza Esporte Clube, um dos maiores da sua história, ao lado de grandes nomes como Sanatiel, Pedro Basílio, Célio, Wilkson e Ronaldo Angelim, apenas para citar alguns.

 

José Paulo Gomes é formado em Educação Física, aposentado na profissão pela Prefeitura de Fortaleza e no momento, graças ao seu vigor físico, é “personal trainer”, ministrando aula para um grupo de amigos e admiradores, dentre eles o Almir Brito, o Nani, conselheiro tricolor, que tornou possível esse encontro,  que respira história, vitórias e conquistas. O Zé Paulo é casado com a senhora Rita e é pai de três filhos, o Roger, o Ríger, os quais tiveram um bela carreira como jogadores de futebol, tendo o Róger atuado, inclusive no exterior e a Andressa, estudante de Jornalismo.

 

Falemos um pouco da trajetória desse grande ídolo e ícone da torcida tricolor:  Zé Paulo foi Campeão cearense pelo Fortaleza em 1964,1965,1967,1969,1973 e 1974, Campeão do Norte-Nordeste de 1970 e Vice da Taça Brasil de 1968, torneio que foi equiparado ao Campeonato Brasileiro sendo, portanto o Zé Paulo, a exemplo do grande Célio, também entrevistado pelo Fala Leão, vice campeão do Brasil.

 

Em 1964, quando conquistou o seu primeiro título, teve a honra de jogar ao lado de um dos grandes ídolos do Fortaleza em todos os tempos e no ocaso da carreira, o Moésio Gomes. O time do seu primeiro campeonato pelo “Clube do Parque dos Campeonatos”, slogan mais usado à época formou com Luiz Mário, Mesquita e Zé Paulo, Genival e Carneiro; João Carlos e Zé Raimundo; Birungueta, Didica, Paraíba e Zé Augusto.

 

Em 1965 se sagrou bicampeão cearense, em decisão com o Ceará, que terminou em 1 x 1, em que o Fortaleza jogava pelo empate e o time campeão formou com: Luiz Mário, Mesquita, Zé Paulo;  Zé Augusto, Renato e Carneiro; Birungueta, Facó, Croinha, João Carlos e Mozart.

 

Em 1967 conquistou mais um título,  quando o Fortaleza venceu o Ferroviário por 3 x 2 e o time campeão formou com: Pedrinho, Louro, Zé Paulo, Renato e Carneiro; Luciano Oliveira e Joãozinho; Mano, Humaitá, Croinha e Coelho.

 

Em 1968 o Fortaleza se sagrava bi-vice-campeão brasileiro, em disputa com o poderoso Botafogo e nesse jogo formou com:  Mundinho, William, Zé Paulo, Renato, Luciano Abreu; Joãozinho e Luciano Frota; Garrinchinha, Lucinho, Erandir (Amorim), Mimi. Técnico: Gílvan Dias

 

Em 1970 foi campeão do Nordeste  com um timaço formado por Mundinho (pai do jogador Júnior Baiano), William, Zé Paulo, Renato e Carneiro;  Luciano Frota e Joãozinho; Garrinchinha, Mozart, Erandir e Mimi.

 

Em 1973 em final com o nosso rival, que foi derrotado por 1 x 0 na prorrogação com um golaço de Amilton Melo,  o Fortaleza se sagrava campeão. O Zé Paulo foi campeão, mas contundido não jogo a finalíssima, cujo time formou com Lulinha, Louro, Pedro Basílio, Queiroz e Bauer; Chinesinho e Lucinho; Amilton Rocha, Hamilton Melo, Marciano(Beijoca) e Silvinho.

 

Em 1974 foi bicampeão, naquele time do famoso quadrado de ouro, cujo meio campo era formado por Chinesinho, Zé Carlos, Lucinho e Hamilton Melo, foi o primeiro título da era Castelão.  Um dos times do Fortaleza era Lulinha, Louro, Pedro Basílio (Zé Paulo), que sofria com problemas no joelho, , Osires e Ronner;  Chinesinho, Zé Carlos, Lucinho e Amilton Melo; Haroldo e Geraldino.  Esse seria o último título do grande Zé Paulo pelo Fortaleza.

 

O Fala Leão, nesse pequeno espaço de tempo falou um pouco da trajetória desse grande ídolo tricolor, um dos mais laureados, haja vista que conquistou oito títulos pelo Fortaleza, sendo poucos com esse cartel e com esse cartão de visitas e que atuou ao lado dos maiores ídolos do Tricolor em todos os tempos, cuja história é pouco conhecida pelos mais jovens, uma vez que o Fortaleza, que ainda não criou o seu museu,  não manten viva e sempre presente, a história dos seus ídolos maiores e grandes craques.

 

Para mim e para nós se constituiu numa grande honra fazer essa homenagem, vez que como jovem adolescente e pobre, saia do Jardim América para o Pici, a pé, somente para ver esse grande ídolo treinar, numa época em que o Fortaleza contava com grandes craques, a maioria dos quais formada no Pici,  cujo slogan era “O Clube do Parque dos Campeonatos”.

 

Penhoradamente o programa Fala Leão, em nome da Nação Tricolor e dos seus fãs, dentre os quais incluímo-nos, agradece ao grande craque Zé Paulo, verdadeiro ícone da história tricolor,  por tudo o que  fez pelo Tricolor de Aço, ele que é que é uma lenda viva e um dos construtores da história de glórias do Fortaleza Esporte Clube.  Obrigado Zé Paulo.

 

Advíncula Nobre

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.