Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

A FORÇA DO TRABALHO, A COESÃO, A UNIÃO E A DETERMINAÇÃO NOS DARÃO A ASCENSÃO

 

O Fortaleza enfrentará o Juventude logo mais à noite, fora de casa e desta feita teremos o jogo da vida dos dois clubes, pois somente um logrará êxito na luta pela ascensão. Os dois clubes têm um histórico de poucos confrontos em que o Tricolor, em que pese não tê-lo vencido ainda em Caxias, leva ampla vantagem. Ei-los:

SÉRIE A

01/06/2003 – Fortaleza 3 x 1 Juventude - VC

05/10/2003 – Juventude 2 x 2 Fortaleza - EF

27/07/2005 – Fortaleza 2 x 0 Juventude -  VC

02/11/2005 – Juventude 2 x 0 Fortaleza - DF

20/08/2006 – Fortaleza 4 x 1 Juventude - VC

26/11/2006 – Juventude 2 x 2 Fortaleza - EF

SÉRIE B

10/06/2009 – Juventude 1 x 1 Fortaleza - EF

16/09/2008 – Fortaleza 0 x 0 Juventude - EC

12/06/2009 – Fortaleza 3 x 2 Juventude - VC

19/09/2009 – Juventude 2 x 0 Fortaleza – DF

 

Foram 10 jogos em que o Fortaleza venceu 4, cedeu um empate em casa, conquistou 3 empates fora de casa e sofreu apenas 1 derrota. Atuando no campo do adversário foram 4 jogos em que o Fortaleza tem a única derrota dos confrontos, contudo conquistou, como vimos 3 empates. A imprensa que, de forma sensacionalista, afirma que o Fortaleza nunca venceu em Caxias esquece de dizer que o Tricolor sofreu apenas uma derrota quando atuando nos domínios do adversário.

 

No cômputo geral o Fortaleza, em 30 pontos possíveis, somou 20, apresentando um percentual de desempenho de 74%. Assinalou 18 gols e sofreu 13, ostentando um saldo positivo de 5 gols. Em casa o Fortaleza marcou 12 gols e sofreu 4 tendo uma vantagem de 8 gols. Fora de casa marcou 7 gols e sofreu outros 7 e zero gol de saldos, que completam os 30 gols ocorridos nos 10 confrontos, que representam uma média de 3 gols por partida.

 

O resultado que teve menos gol foi 0 x 0 e o de mais gols foi Fortaleza 4 x 1, ambos em seus domínios. Fora de casa a maior vitória do Juventude aconteceu por 2 x 0. Dos empates conquistados fora de casa, dois tiveram o placar de 2 x 2 e um teve o resultado de 1 x 1. Mostramos todos esses detalhes da partida para que a Nação Tricolor fique mais tranquila, posto que, conforme vemos, historicamente o Juventude não tem sido esse bicho papão,  pintado por determinadas alas da imprensa.

 

Estamos confiantes em um bom resultado, não apenas por intuição ou por um desejo de torcedor, mas por termos a certeza de que o Tricolor tem um time mais experiente e mais capacitado tecnicamente do que o adversário e que tem a maturidade necessária para conquistar a ascensão que, desta vez, com a graça de Deus virá, para premiar esse trabalho da diretoria e de todos que fazem o Tricolor.

 

O pessoal da Globo está colocando o Juventude como o maior favorito da rodada, com 61,2% de  chances de sair vitorioso, ficando 22.2% para o empate e apenas 16,6% para a probabilidade de vitória do Fortaleza. Evidentemente que respeitamos a opinião daqueles que são reputados como o suprassumo da imprensa esportiva brasileira, mas apenas lembramos que esse pessoal errou as três previsões relativas aos confrontos já realizados e não será agora, e esperamos em Deus,  que vai acertar.

 

O que o Fortaleza tem que fazer é manter a calma e se livrar da síndrome que tem sido uma constante nos confrontos de mata-matas, desde que passou a vigorar o atual modelo e que, ao que parece, pegou o Guarani de cheio, que tinha a segunda melhor defesa da competição, que só no máximo dois gols em embates fora de casa, e assim mesmos numa vitória por 4 x 2 e que agora sofreu três. O Fortaleza precisa quebrar esse estigma.

 

Perguntam-me com frequência sobre o que o Fortaleza tem que fazer nesse jogo para conquistar um bom resultado. Apelo para o lugar comum para dizer que não existe uma receita pronta, isto porque cada jogo tem a sua história e as suas próprias nuances. O que posso afirmar é que não seria nada mal que o tricolor se espelhasse no ASA, que sofrendo um gol, simplesmente do melhor time da Série C, não baixou a cabeça, atuou com garra e foi buscar o resultado e só depende de mais um pouquinho de esforço e concentração para conquistar a vaga. Fazendo isso ganharemos a partida.

 

Não vou dar ênfase ao lado emocional, sito porque, nós que estamos há mais de meio século no futebol, estamos acostumados a lidar com as situações  muito mais complicadas e temos obtidos grandes triunfos e algumas derrotas que também nos marcaram. O que posso afirmar, procurando usar um pouco da razão, que por vezes se mistura com a emoção, é que devemos confiar no Fortaleza e no trabalho que está sendo feito, pois sempre confiei na força do trabalho, especialmente quando feito com determinação e isso, seguramente, não falta ao tricolor. Confiemos na vitória!

 

Por hoje c’est fini.

  

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.