Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

NOVA FÓRMULA PARA DISPUTA DA SÉRIE C

10 Nov 2016

 

AVALIAÇÃO NO CENTRO DE TREINAMENTO

Será realizado na próxima sexta-feira (11), às 15 horas, no Centro de Treinamento Ribamar Bezerra um teste avaliativo para jovens nascidos entre 2002 e 2003. Para participar deve ser feita a inscrição no Pici/Estádio Alcides Santos (Avenida Senador Fernandes Távora, 200 - Pici. Os interessados devem ir ao Pici, acompanhados de um responsável, para fazer a inscrição. É necessário levar um documento de identificação, atestado médico e pagar uma taxa de R$ 50,00, que será destinada para melhorias nos departamentos das categorias de base.

 

CALENDÁRIO DA FEDERAÇÃO PARA 2017

A Federação Cearense de Futebol divulgou, nesta segunda-feira (7), o calendário de competições e o Regulamento Geral de Competições da temporada 2017. No próximo ano, serão 14 competições realizadas pela FCF, de janeiro a novembro. As novidades serão o Campeonato Cearense Feminino Sub-20 e duas categorias da Copa Master: Quarentão e Cinquentão. A temporada será iniciada no dia 15 de janeiro, com a Copa dos Campeões - dois jogos entre o vencedor do Campeonato Cearense Série A e o campeão da Taça Fares Lopes do ano anterior.

 

TEMPO PARA O FORTALEZA SE REPAGINAR

Terminada a Série C, o título foi  conquistado, por um clube, o Boa Esporte que, consoante os especialistas não era o mais indicado e mais cotado para vencê-lo. Vamos divagar um pouco para fazer um diagnóstico dos clubes classificados para a segunda fase, tomando por base os pontos somados por cada um na fase inicial e, hipoteticamente, analisarmos quais os que estariam na Série B, em quaisquer circunstâncias.

            

Pelo critério atual, sistema misto de pontos corridos e jogos eliminatórios classificaram-se se 3 do Grupo B: Guarani (38), Boa (35) e Juventude (30) e do Grupo A apenas o ABC, com 30 pontos. Ficou de fora do Grupo B o Botafogo de São Paulo, com 31 pontos e do Grupo A Fortaleza com 30, Botafogo (PB), com 28 e ASA com 26.

 

Se olharmos a pontuação verificamos que apenas o primeiro do Grupo A, o Fortaleza teve pontuação igual a de um time do Grupo B, no caso o Juventude, que foi o quarto do B, com 30 pontos. Pela colocação final da fase de classificação verifica-se sem muito esforço que os times do Grupo B fizeram mais pontos do que os do Grupo A, donde se conclui que naquela grupo as equipes eram mais fortes tecnicamente.

Esse fato fica comprovado e patente quando fazemos a simulação da Série B como se fora de pontos corridos, mantendo-se evidentemente a mesma pontuação. Por esse critério fica visível e sem possibilidades para refutação, a superioridade do Grupo B, que classificaria a todos: Guarani com 38 pontos; Boa Esporte com 35; Botafogo de São Paulo, com 31 e o Juventude com 30, mesma pontuação do Fortaleza, de quem ganha no saldo de gols,  10 contra 9.

 

Comprovamos desse modo que o Fortaleza, infelizmente, no ano em curso, em função da pontuação conquistada, não ascenderia à Série B, também pelo critério de pontos corridos, descontando-se o fato de não terem jogado todos contra todos, pelo qual cada clube faria 38 jogos.  Esse é um dado importante que indica que em 2017, se quiser subir por qualquer critério, o Fortaleza tem que formar um time mais forte e mais competitivo.

 

Esse levantamento e espero que os departamentos especializados do Fortaleza atentem para os dados que apresentamos, desmistifica a tese, ou a lenda de que por pontos corridos o Fortaleza teria ascendido à Série B. Teria não.  Poderia até ter subido, mas para tanto precisaria melhorar o desempenho, em pelo menos mais 3 pontos, ou seja, em 10%. Na melhor das hipóteses necessitaria de um pontinho a mais para superar o quarto colocado do Grupo B, o Juventude, para quem perderia a vaga.

 

Desse modo concluímos que no ano que vem o Fortaleza tem que elaborar o seu planejamento levando em conta que 35 pontos, nos moldes atuais de disputa, é o número ideal para que venha a  usufruir de vantagens no mata-mata.

 

Não temos históricos de um sistema de pontos corridos na Série C, mas presumimos que para ascender de forma tranquila o time tem que somar no mínimo 70 pontos em 114 possíveis, que correspondem ao percentual de desempenho de 62%. O percentual do Fortaleza neste ano foi apenas de 55%, muito aquém do mínimo exigido.

 

NOVA FORMA DE DISPUTA DA SÉRIE C

A luta da maioria dos clubes, principalmente dos que têm maior torcida,  é para que a Série C passe a ser disputada por pontos corridos, tese que não vem sendo digerida pela CBF, sempre ávida por acumular dinheiro, em detrimento dos clubes que continuam pobres. Para não aceitar essa ideia a CBF argumenta que a regionalização diminui os custos, inviabilizando assim a fórmula de pontos corridos entre os vinte clubes.

 

E por que não atender os reclamos em parte? Um sistema que já seria mais rentável seria a disputa de pontos corridos entre os grupos, como já o é, classificando-se oito, que fariam uma segunda fase também de pontos corridos. Quatro ascenderiam à Série B e quatro continuariam no certame do ano seguinte. Os clubes deveriam pensar seriamente nessa forma de disputa e exigir, com autoridade essa mudança, pois a CBF, que é toda poderosa, não existiria sem eles.

 

Por essa fórmula cada clube jogaria trinta e duas vezes e garantiria praticamente o calendário do ano em todo, que seria um estímulo para maiores investimentos por parte dos mesmos. O Fortaleza deveria apostar nesse sistema de disputa, que se não é o ideal, pelo menos se aproxima em muito da forma defendida pela maioria dos clubes.

 

Por hoje c'est fini.

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.