Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

ELEIÇÕES DO FORTALEZA - FESTA DA DEMOCRACIA

 Dr. Alessander Salles - O grande condutor do processo eleitoral tricolor

 

Enfim tivemos as eleições tricolores que se constituíram, numa verdadeira festa da Democracia, isto porque do colégio eleitoral apto a votar, 900 sócios usufruíram do seu direito e livremente escolheram os candidatos, dos quatro poderes tricolores, que julgaram com mais capacidade de gerir os destinos do clube nesse biênio 2017 a 2018, cujos mandatos alcançarão o aniversário de cem anos do clube, em 18 de outubro de 2018, realmente um privilégio para os que foram sufragados nas urnas.

 

Jorge Mota, por uma larga margem foi reeleito presidente; Marcelo Desidério, indicado por Flávio Novais, de quem era vice-presidente,  foi eleito presidente do Conselho Deliberativo. Francisco Tomaz, logrou êxito na sua candidatura visando a reeleição para o Conselho Fiscal, no qual, juntamente com os seus pares tem feito um trabalho digno de nota.

 

Por fim tivemos a eleição da Chapa Alcides Santos, para o Conselho de Ética, capitaneada por mim, ladeado por grandes tricolores como Araújo Coração de Leão, Otaviano Ribeiro, Renato Bonfim e Dr. Lino Holanda. Temos muito trabalho pela frente, tende em vista que devemos iniciar pela aprovação do Regimento Interno, que norteará as nossas atribuições e indicará o rumo a ser seguido.

 

Nesse ensejo em nome da Chapa Alcides Santos, queremos agradecer aos sócios tricolores que nos honraram com 617 votos, coincidentemente a mesma votação do Jorge Mota, que nos respaldam para desempenharmos as nossas funções com lisura e responsabilidade e pensando, sobretudo no paz que deve reinar entre todos os tricolores.

 

Parabenizamos, outrossim,  a Comissão eleitoral, composta do Dr. Alessander Salles, Dr. Rubens Lima e Dr. Washington Mendes pela organização do pleito e pela ordem existente durante o período de votação, exemplo não só para os clubes de futebol, mas para o próprio processo eleitoral brasileiro.

 

Foram eleições que, pela sua organização e seriedade com que foi conduzida colocam o Fortaleza na vanguarda da Democracia no futebol e exemplo a ser seguido pelos demais clubes, especialmente por aqueles que ainda fazem eleição a bico de pena.

 

Fazemos questão de parabenizar a Comissão Eleitoral, que se houve de forma imparcial e íntegra, porque passado os holofotes da eleição, praticamente, ninguém se lembra, especialmente a grande imprensa,  que um dia o Fortaleza teve uma Comissão Eleitoral, que mostrou competência, cuja lisura contribuiu decisivamente para essa magnifica e espetacular festa de Democracia, que só o Fortaleza e a sua torcida são capazes de protagonizar.

 

Os nossos encômios à essa comissão que com pulso firme contribuiu decisivamente para que tivéssemos uma eleição sem qualquer incidente, sem dúvidas uma prova inconteste de maturidade por parte da nossa torcida e, de modo especial do nosso quadro de sócios.

 

Não poderíamos deixar de registrar os esforços dos presidentes do Conselho Deliberativo, Mozart Martins, que nomeou uma comissão de notáveis, que elaborou o anteprojeto do Estatuto Tricolor, do Elpídio Brígido Filho, que deu continuidade às discussões e o submeteu à votação e do Flávio Novais que promoveu os acertos necessários para que tivéssemos uma carta magna que tornou mais ágil a administração tricolor. A todos os nossos encômios.

 

Resta-nos agora parabenizar os vencedores e dizer para os que não lograram êxito nas suas proposituras que ninguém perdeu, só que ganhou foi o Fortaleza por essa demonstração de maturidade democrática. Esperamos que todos estejam cônscios da necessidade de união em prol do Fortaleza, pois a disputa eleitoral foi apenas um confronto de ideias e não de pessoas, que doravante devem seguir unidas em torno do mesmo ideal, que passa por fazer um Fortaleza grande e altaneiro.

 

Aproveitamos o ensejo para parabenizar o Alano Maia e os seus pares pelas grande festa de congraçamento e confraternização da APCDEC, realizada nas dependências do CRESSE. Naquela ocasião entrevistamos o Alano Maia que se reportou sobre o  seu projeto para o ano vindouro que passa por um seminário que reunirá todos os  radialistas do Estado, dentre outras realizações não menos importantes. Ficamos na torcida para que todo o planejamento estratégico desse importante órgão de classe da imprensa esportiva possa ser posta em prática, posto que todas essas ações serão em benefício da classe.

 

Agradecemos ainda ao Tenente Romero, presidente do CRESSE e ao sargento Cláudio Ribeiro, vice-presidente, pelo apoio que nos foi dado, quando da apresentação do Fala Leão, diretamente das dependências daquele belo e organizado clube. Ficamos deveras reconhecidos e agradecidos.

 

Por hoje c’est fini.

 

 

 

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.