Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

 

O Fortaleza está na Série C há sete anos, durante os quais nenhum dos presidentes que estiveram comandando o clube conseguiram a ascensão. Renan Viera, Paulo Arthur que ficou pouco tempo, sendo sucedido pelo vice o Baquit,  que após o término do mandato tampão, teve mais dois anos e o Jorge Mota, de modo que sob esse aspecto ninguém pode falar de ninguém e assim não farei, até porque não tenho vocação para caçar bruxas e, além do mais, prego a união prego a união entre todos as correntes tricolores.

 

O certo é que todos esses presidentes, podem até ter cometido erros, mas tiveram os seus méritos, a começar pelo Baquit que recebeu o Fortaleza numa situação muito delicada em termos financeiros, herdando cerca de 42 ações trabalhistas que importavam em torno de R$. 4.800.000,00 e coadjuvado pelo Daniel Frota, iniciou a reconstrução do clube, política continuada pelo Jorge Mota que resultou num clube muito mais equilibrado administrativa e financeiramente.

 

Agora temos que focar no futebol  e essa foi a exigência maior da torcida tricolor que em razão desse longo período na Série C anda muito irrequieta e agitada, ao ponto de tecer sérias críticas às contratações, por melhor que sejam, isto porque sempre espera medalhões.

 

Particularmente acho que o clube tem que contratar pelo menos dois jogadores que mexam e infundam mais confiança no torcedor que, a cada anúncio de contratação do nosso rival fica mais apreensivo, sito porque o time do Fortaleza, que lutará pelo tricampeonato, pelo título da Copa do Nordeste, por uma boa participação na Copa do Brasil e pela ascensão e título da Série B ainda não saiu do papel ou da cabeça dos responsáveis pela sua montagem.

 

No meu ponto de vista se faz premente que até sexta-feira tenhamos já uma situação melhor definida para acalmar os ânimos da torcida, que se deixa influenciar facilmente por pessoas que se aproveitam da sua carência para instiga-la contra a diretoria, que tem uma grande responsabilidade por sobre os ombros e que, em termos de montagem do elenco não pode cometer os erros dos anos anteriores.

 

A situação da diretoria é relativamente difícil isto porque as contratações anunciadas até o momento não conseguiram sacudir e empolgar a torcida, as quais têm recebido críticas gratuitas, antes mesmo que os novos atletas possam mostrar as suas qualidades técnicas. Infelizmente parte de torcedores nas redes sociais, que ainda pensam que estão vivendo num clima de eleição e parte da imprensa tem sido implacável para com a diretoria, com relação às contratações e dentre os vários aspectos da censura criticam a morosidade.

 

O Marcelo Boek, que tem sido campeão por onde passou e que tem um currículo inimaginável para os tempos atuais, vez que jogou apenas em toda a sua carreira, e já está com 32 anos, em tão somente  quatro clubes,  tem recebido críticas no WatsApp e nas redes sociais. Arrisco-me a dizer que se viesse o Messi também seria criticado por torcedores determinados torcedores que infelizmente ainda não descobriram que somente a união nos levará para frente.

 

O Boek atuou apenas por Internacional-RS (2005-2007), Marítimo-POR (2007-2011), Sporting-POR (2011-2016) e Chapecoense-SC (2016) e conquistou os seguintes títulos: Campeonato Gaúcho de 2005, Copa Libertadores de 2006 e Campeonato Mundial de Clubes de 2006 (Internacional-RS), Taça da Madeira 2008-2009 (Marítimo-POR), Taça de Portugal 2014-2015 e Supercopa de Portugal de 2015 (Sporting-POR), Campeonato Catarinense de 2016 e Copa Sul-Americana de 2016 (Chapecoense -SC).

 

A pergunta é simples: Será que um jogador que ficou tanto tempo nos seus clubes e que detém todos  esses  títulos não tem condição de vestir a camisa do Fortaleza?  Acredito que sim, contudo, a má vontade das pessoas do contra, para as quais a diretoria não acerta em nada,  é muito grande e parece até que estamos diante de um movimento sistemático e bem articulado que visa desacreditar o staff diretivo que, com certeza nesse momento da vida tricolor em nada contribui.

 

Estaríamos defendendo esse mesmo ponto de vista se o presidente fosse outro, isto porque essas críticas a troco de nada não contribuem para a paz e para o engrandecimento do Fortaleza e, por outro lado somos Fortaleza e já temos muitos inimigos. Por que razão então, sendo Fortaleza como dizemos que somos, temos que engrossar a fileira dos que batem diariamente e sem piedade no nosso clube e na sua diretoria?

 

Também sou torcedor, que há cinquenta e cinco anos torço e sou paladino do Fortaleza não sendo, pois, maior e nem menor do que ninguém, mas estou esperando, tendo em vista que vários fatores podem estar contribuindo para essa aparente lentidão nas contratações, dentre eles a falta de recursos, ou os problemas de relacionamento com os empresários, que estão sempre ávidos por melhores contratos e pelas vitrines que costumam se abrir nessa época do ano, a exemplo do campeonato paulista.

 

Tem empresário que preferem os seus jogadores em times pequenos de São Paulo, atuando em apenas dois meses, pensando na possível valorização dos mesmos que lhes proporcionará, após o término daquele campeonato, firmar contratos mais duradouros, depois de uma espécie de leilão em que o atleta irá para quem der mais. Isso é um entrave para os clubes do restante do país, mormente dos que estão na Série  C.

 

Diante de todos esses pontos elencados, custa-nos entender esse tal de fogo amigo, que queima tanto quanto o do inimigo e ainda é mais nocivo, porque todos nós estamos preparados, enquanto seres humanos, para recebermos apoio e incentivos e não para sermos criticados, espezinhados e maltratados por cada palmo de chão. O verdadeiro tricolor tem que ser mais comedido, tem que dar um tempo para que as coisa se amoldem. Nada de caça e caçador.

 

Temos que dar um prazo, que evidentemente não pode ser muito grande,  para que o staff tricolor que, como ninguém sabe das suas responsabilidades, possa buscar bons nomes no mercado,  fazendo boas aquisições, em que pese as limitações financeiras do clube e  o fato de estar numa Série C.  Conseguiremos bons nomes isto porque a marca Fortaleza é muito poderosa e temos uma torcida gigantesca e apaixonada e isso conta muito na hora do jogador decidir. Paciência, pois paciência e caldo de galinha não fazem mal a ninguém.

 

Por hoje c’est fini.

 

 

 

 

 

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.