Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

MÁSCARAS CAINDO

30 Dec 2016

 

Primeiro que fique bem claro que não temos e não fazemos marcação cerrada contra aquele programa que diariamente, com raríssimas exceções, tripudia o Fortaleza, até porque tem gente na bancada que se salva. Apenas fazemos o contraponto e redarguimos quando o mesmo comete desatinos ou entra em  alguma contradição e ainda quando atinge o Fortaleza, o que vem sendo fato corriqueiro.

 

Apontamos a sua mais recente contradição, vez que nos últimos dias o citado informativo, que dedica noventa por cento do seu tempo ao nosso rival e o curtíssimo período restante ao Fortaleza, aos outros esportes e a todo o futebol cearense, vinha trabalhando, por todos os meios, para derrubar o presidente do Ferroviário e para colocar em seu lugar o Valmir Araújo e conseguiu.

 

Agora, no entanto, passou a criticar o seu eleito, ou o seu ungido  veementemente, e de forma mais dirigida através do “bobo da corte” e por que? Resposta simples e sem floreios: Simplesmente em razão da contratação do  técnico Marcelo Vilar, um dos três mais laureados treinadores do futebol cearense, a quem chamaram, jocosamente de “ex-treinador”. Alguém saberia a razão dessa crítica tão contundente ao Marcelo Villar?

 

Vamos rememorar: Quando o Marcelo Villar era treinador do Treze de Campina Grande, não me lembro por que motivo, foi criticado duramente pelo citado programa e por essa razão se recusou terminantemente a conceder uma entrevista ao mesmo, tecendo-lhe sérias críticas, ou em outras palavras esnobou publicamente o programa.

 

Como é voz corrente que o brasileiro tem memória curta, relembrei esse episódio grotesco e dantesco, para que todos entendam as razões dessa perseguição cerrada a um treinador que num passado não muito distante já endeusado pelo aludido informativo, ao ponto do seu nome ter sido sugerido ao Fortaleza. Liguem os fios caras-pálidas porque ao que tudo indica estamos diante de uma represália e de uma tentativa de vingança. Eita que jornalismo sério!

 

O nome do meia Cássio Ortega chegou a ser ventilado ontem como de interesse do Fortaleza. Diante desse fato pesquisamos e extraímos essa notícia do Globo Esporte: “A temporada 2016 já acabou para o Salgueiro. Mas para o jogador Cássio Ortega, nada de descanso. O meia atacante foi emprestado para o Mirassol até dezembro deste ano, com possibilidade de renovação até maio de 2017. Para o Gerente de Futebol do Salgueiro, Carlos José de Araújo, o empréstimo pode trazer uma boa visibilidade ao time pernambucano.

 

Somente uma coisa não dar para entender nesse empréstimo: Se nenhuma competição começou como se justifica um empréstimo apenas até dezembro e em pleno recesso? A nãos ser que o Mirassol esteja sendo o trampolim ou a ponte para uma negociação mais vultosa com outra equipe, o que seria mais provável, Em não sendo isso confessor que não consegui captar o motivo de tal cessão de prazo tão curto.

 

O Governador Camilo Santana sancionou ontem a  lei Nº 16.176, de autoria do Poder Executivo, já  publicada no Diário Oficial e em pleno vigor,  que determina um repasse financeiro do Governo do Estado, a título de doação,  para os clubes cearenses que disputaram a edição 2016 do Campeonato Brasileiro, no total de R$. 1.700.000,00 a ser dividido entre cinco agremiações: Fortaleza, Ceará,  Icasa, Guarani de Juazeiro e Uniclinic.

 

O Ceará, por estar na Série B recebe R$. 600.000,00 e o Fortaleza na C, recebe R$. 500.000,00 e os outros três clubes, Guarani, Icasa e Uniclinic recebem cada um R$. 200.000,00. Evidentemente que embora a diferença seja relativamente pequena, R$. 100.000,00 sempre nos alinharemos contra essa discriminação entre o nossos rival e o Fortaleza.

 

Colocamo-nos contra porque os números de frequência de público nos estádios, além dos institutos de pesquisas, e falamos dos renomados e de credibilidade, provam cabalmente que o Tricolor tem a maior torcida do Estado, tendo ficado em oitavo lugar neste ano,  no ranking geral de torcidas do Brasileirão e perdendo apenas para oito gigantes da Série A.

 

Para terem direito aos recursos, os clubes precisam assinar um Termo junto a Secretaria de Esporte e como contrapartida apresentar as mesmas certidões que foram exigidas pela Federação, com base no PROFUT. Não sabemos a situação do Icasa, mas Fortaleza, Ceará, Guarani e Uniclinic estão aptos a receber a doação, isto porque esses certidões foram expedidas recentemente, estando válidas.

 

 

O ex-presidente Osmar Baquit se empenhou muito na luta para aprovar a lei e em tempo hábil, vez que os clubes estão remontando os seus elencos e precisam de recursos, razão por que merece todos os nossos encômios por essa importante contribuição para o Fortaleza e, teve como parceiro  e frisamos por uma questão de justiça,  o Evandro Leitão.

 

Estiveram contra a lei o Capitão Wagner, que durante a campanha prometeu ajuda ao nosso futebol e até declarou que havia sido atleta amador, tentando demonstrar e estabelecer a sua ligação com o esporte e que que nessa votação se contradisse; o Heitor Ferrer que no momento é um poço de contradições e o Ely Aguiar que fez do futebol um trampolim para a sua eleição para a Assembleia Legislativa. As máscaras de pseudodesportistas caíram.

 

 Por hoje c’est fini.

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.