Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

FORTALEZA: QUATRO VEZES CAMPEÃO DO NORDESTE

 

A Copa do Nordeste, no seu grupo A, que tem  Uniclinic, Campinense, Santa Cruz e Náutico, teve o seu jogo inaugural ontem com a partida,  Náutico 4 x 0 Uniclinic e prossegue hoje com mais um jogo,       Campinense x Santa Cruz. É evidente que todos nós temos plena ciência da tradição e da capacidade do Clube Náutico Capibaribe, entretanto, ao nosso ver, o Uniclinic não se preparou devidamente para a principal competição nordestina e pelo andar da carruagem poderá passar por outros vexames.

 

A começar por essa tentativa ridícula e antiética de vender a vaga para o Ceará, o quinto colocado do campeonato cearense do ano passado, numa trama urdida em que dela participavam os Guaranis, de Sobral e de Juazeiro e que, para o bem da decência do desportos deveria ter sido punida, tanto os corrompidos quanto o corruptor, para evitar que novas burlas às regras fossem tentadas.

 

Por outro lado, ao que consta, por ter sido amplamente divulgado pela imprensa,  a diretoria, a receber a cota de participação de R$. 600.000,00 optou por se ressarcir dos investimentos feitos no time no ano passado, fato que justifica plenamente a pouca qualidade técnica do elenco e como castigo natural pela falta de apreço para com a competição, sofreu essa goleada estonteante que, por certo, envergonha a todos.

 

O Grupo C, que conta com  Juazeirense, River, Sampaio Corrêa e Sport,  e que se configura como um dos mais equilibrados do certame,  terá o seu pontapé iniciado hoje, com a partida     Sport x Sampaio Corrêa. O Sport conseguiu se manter na Série A, na última rodada do ano passado e o Sampaio Corrêa não conseguiu se manter na Série B tendo sido o lanterna da competição e por essa razão o time pernambucano é o franco favorito.

 

O Grupo D, que reúne Itabaiana, CSA, CRB e ABC, excetuando-se o Itabaiana é o grupo da sopa de letrinhas tem hoje o confronto entre CSA e ABC e, o time norte-rio-grandense, pelo que produziu no ano passado, em que conseguiu a ascensão à Série B, se apresenta como favorito, embora todos os clássicos regionais não nos permitam muita divagação em termos de prognósticos. Espere os para ver.

 

A Copa do Nordeste tem uma premiação das mais atraentes. Apenas pela participação na primeira fase o clube já é agraciado com uma cota de RS. 600.000,00 e de R$. 330.000,00 para as equipes do Piauí e do Maranhão. Chegando à segunda fase, ou às quartas de final a equipe embolsa mais R$. 450,00, totalizando R$. 1.050.000,00 e nesse caso não existe distinção entre as equipes de Piauí e Maranhão, que embolsa R$. 780.000,00 no total.

 

O clube que chegar às semifinais recebe mais R$. 550.000,00, igual para todas as equipes, totalizando R$. 1.600.000,00 de cota de participação. As equipes de Piauí e Maranhão, em decorrência de diferença do valor pela participação inicial podem chegar a R$. 1.330.000,00.

 

Os clubes que chegarem à final recebem mais uma cota: O Vice R$. 550.000,00 e o campeão R$. 1.200.000,00, de modo que o vice-campeão em sendo do Piauí ou do Maranhão podem chegar a RS. 1.880.000,00 e dos demais estados a R$. 2.150.000,00 e estamos falando em cota de participação à qual se junta a renda auferida pelo clube como mandante.

 

O Campeão recebe uma cota de R$. 1.200.000,00 que somados aos R$. 1.600.000,00 percebidos nas fases anteriores totalizam R$. 2.850.000,00. Sendo do Piauí ou do Maranhão perceberá R$. 1.580.000,00.  O montante de todas as premiações chega a cerca de R$. 18.520.000,00, maior do que a do ano passado que chegou perto dos R$. 14.000.000,00, donde se infere que a cada ano o montante de premiação vem sendo majorado.

 

Todos esses valores; o apelo regional que estimula a rivalidade; a integração regional, são fatores que fazem da Copa do Nordeste um dos mais bem sucedidos certames da nossa história recente e, no nosso ponto de vista serviram de estímulos para que determinados clubes se propusessem a burlar a lei e a atropelar a ética e a decência, embora não justifique esse comportamento amoral.

 

São dados que nos levam a desejar que o Fortaleza chegue muito mais adiante, esse mesmo Fortaleza que venceu a competição em 1.946, em jogo decisivo realizado em 21 de maio de 1947, em que venceu o América de Natal, em Natal,  por 3 x 1. Viria a ser campeão em 1970, em decisão contra o Sport em que, mesmo perdendo a última partida, que não era eliminatória, por 2 x 1, sagrou-se campeão pelos demais critérios de desempate.  

 

Além desses dois títulos o Tricolor ainda se sagrou campeão do Norte e Nordeste, em 1960, meu primeiro título regional, enquanto torcedor e em 1968.  Ontem falamos no Programa Fala Leão da conquista de 1962, em que, ao vencermos o Transvaal por 3 x 1, em Paramaribo, então capital do Guiana Holandesa, hoje Suriname, nome que assumiu depois de conquistar a independência da Holanda, sendo este o primeiro e único título internacional do Fortaleza e do futebol cearense.

 

Consta, e estou pesquisando sobre isso, para dar veracidade ou não ao fato, que o nosso rival, com inveja, acertou um amistoso em Paramaribo, para não ficar por baixo e foi goleado por 6 x 1.  Os jornais e demais meios de comunicação, como sempre coniventes, abafaram essa possível derrota, mas se existir chegaremos ao fio da meada. Ressalte-se que o Flamengo, todo poderoso, com Joel, Gerson, Henrique, Dida e Babá também foi derrotado pelo Transvaal por 3 x 2. Quem foi tirar a prova dos nove se deu mal.

 

Por hoje c’est fini.

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.