Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

NÃO DUVIDEM JAMAIS DA CAPACIDADE DE SUPERAÇÃO DO TRICOLOR

 

A Copa do Nordeste acabou mais cedo para alguns times de têm camisa e, sem dúvidas, são detentores de grandes torcidas no Nordeste: Fortaleza, Náutico, só por milagre se classifica, América (RN), ABC (RN), Botafogo (PB), Sampaio Corrêa (MA), CSA e CRB (AL). Dos grandes quatro confirmaram a classificação: Bahia, Vitória, Santa Cruz e Sport. Entre os medianos passaram para a próxima fase, por enquanto,  Campinense, River e Sergipe e representando os pequenos o Itabaiana.

 

O Fortaleza, por mais paradoxal que pareça, até o presente momento, se despede da competição invicto e como o time que mais empatou, 4 empates. O Sampaio sai como o time que mais sofreu reveses, 4 derrotas. CSA, ABC, América e Botafogo, todos saem com 3 derrotas. Se o CRB eventualmente sair, será desclassificado com 2 derrotas, a que tem até o momento e a que eventualmente possa vir a ter contra o Itabaiana, dentro de casa.

 

O CRB ainda tem uma pequena chance de se classificar como primeiro, desde que vença a Itabaiana, resultado que tiraria o tricolor sergipano da segunda fase, vez que com seis pontos, perderia no saldo de gol para River, Vitória, Sergipe e Santa, que mesmo que perdessem ainda se classificariam pelo saldo de gols. O CRB não pode nem sonhar com o empate. Desse grupo sai apenas um classificado, CRB ou Itabaiana.

 

Muito difícil a situação do Náutico, que terá que vencer o Uniclinic de goleada, pelo menos cinco, o que não é impossível e torcer para o Santa ser derrotado pelo Campinense, dentro de casa. Assim mesmo chegará apenas a 10 pontos e irá brigar ainda pelo saldo de gols. Pelo andar da carruagem, afora a briga particular entre CRB e Itabaiana, os outros clubes devem manter a classificação.

 

O Fortaleza foi desclassificado pelo Altos e, como diria o Sílvio Luiz, o que é que vou dizer em casa para os meus filhinhos? Vou dizer que o Fortaleza não jogou bem. Primeiro que o gol só saiu aos trinta e um minutos, numa jogada individual do Zé Carlos. Após abrir o marcador o Tricolor caiu de produção, isto porque o meio campo do Altos começou a dominar as ações, tanto pela atuação dos seus jogadores, a exemplo do Leandro Sobral, que jogou como se estivesse em casa, como pela queda de produção do Leandro Lima, que continuo afirmando que não tem aptidão e nem pedigree, para liderar o time tricolor e fazê-lo jogar.

 

Para complicar a situação de um time que já não jogava bem, o Zé Carlos perdeu as estribeiras e tentou dar uma cotovelada no adversário e foi expulso de imediato e direto. Tenho dúvidas se foi um lance para expulsão. As imagens me deixaram com dúvidas.

 

Ganhando de um a zero e tentando compactar a equipe o Marquinhos, e acho que se arrependeu muitíssimo, sacou o Leandro Lima, que havia sumido do jogo e colocou o Vacaria, cuja atuação foi hilariante, basta dizer que ia nas jogadas de forma estonteada tendo, inclusive levado uma bola por entre as pernas no gol de empate do Altos.

 

As demais substituições não alteraram o panorama e o Altos, com um jogador a mais passou a tocar a bola, assenhoreou-se do meio de campo e no final, quando o seu lateral já tinha sido expulso, poderia ter virado o marcador, isto porque, isto porque o Boeck saiu para cabecear e no contra-ataque o jogador do Altos perdeu o gol sem que houvesse goleiro nas traves.

 

O Fortaleza, antes desses lances de desespero, teve oportunidade de selar a vitória, entretanto os atacantes tricolores perderam duas oportunidades para marcar, ambas de cabeça, uma com o Lúcio Flávio e com outro jogador, cujo nome não me recordo.

 

Um jogo não para esquecer, pois acredito que o Marquinhos tirou lições importantes, especialmente com relação a alguns jogadores que não vêm correspondendo. Por outro lado, já deve pensar em formatar o time que vai para as partidas decisivas e tem problemas, pois, infelizmente não pode contar com o Esquerdinha, par ao lugar do Leandro Lima, que também não vem correspondendo.

 

A situação é preocupante, é, mas não é desesperadora. Conseguindo o time ideal o Tricolor tem possibilidades de brigar de igual para igual pelo título, até porque, excetuando a imprensa marrom e a bipolar, que é aquela que embarca na canoa dos nossos inimigos, continuamos a acreditar que podemos nos superar, a começar com a entrada do Everton e de mais uns dois reforços, possibilidade que é real, vez que os reforços ainda podem ser escritos até sexta-feira. Vamos acredita. Não duvidem jamais da capacidade de superação do Fortaleza.

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.