Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

SÉRIE C - UMA ANÁLISE APÓS A OITAVA RODADA

  Como de praxe, após o encerramento de cada rodada,  fazemos um levantamento, ou uma análise estatística da competição, segundo os critérios usuais, utilizados para esse tipo de exame e de acompanhamento que, na nossa ótica, facilita a análise, por parte da torcida, com relação à produtividade das equipes que se destacam positiva ou negativamente, dentro do certame.

 

O clube com melhor desempenho é o CSA, que até à oitava rodada somou dezessete pontos, apresentando um percentual de desempenho de 70%. Desses pontos, dez foram amealhados dentro de casa e sete fora, havendo, pois, muito equilíbrio e regularidade na sua campanha, tanto como mandante, quanto como visitante.

 

O clube com menor desempenho, até aqui tem sido o Mogi Mirim, que conquistou apenas sete pontos, que lhes conferem um percentual de aproveitamento de 29,2%, de time rebaixado. Todos os pontos do Mogi forma conquistados em casa, fruto de duas vitórias e um empate.

 

Novamente se destaca o CSA como a equipe que conquistou mais vitória, cinco,  das quais três ocorreram em casa e duas fora de casa havendo, pois, muito equilíbrio e regularidade na campanha do time alagoano. Foram cinco vitórias em oito possíveis que resultam numa produtividade, em termos de triunfos, de 62,5%.

 

Cuiabá, Moto e Salgueiro são as equipes com menor número de vitórias, apenas uma, ambas conquistadas em casa. Conquistando apenas um triunfo em oito possíveis apresentam um percentual de produtividade, em termos de vitórias,  de apenas 12,5%. Esperamos sinceramente que o Fortaleza não permita ao Moto aumentar esse percentual.

 

O Cuiabá time que mais empatou, seis empates e,   consoante pesquisas, é o clube, proporcionalmente,  com mais empates em toda a Série C. Ostenta um percentual de 75% de empates, vez que conquistou seis em oito possíveis. O interessante é que na condição de mandante foram apenas dois, os demais foram obtidos enquanto visitante.

 

Os clubes que menos empataram foram o Macaé e o Mogi Mirim, ambos com um empate. O Macaé cedeu o seu empate em casa e o Mogi Mirim conquistou o seu fora de casa, isto porque existe uma pequena diferença, pois quem empata em casa cede e quem empata fora conquista.

 

O ataque mais positivo é o do Fortaleza com 12 gols marcados, situação que vem mantendo nas últimas rodadas. Desses tentos, oito foram assinalados em casa e quatro fora de casa, de modo que podemos tabular que a eficiência ofensiva do Tricolor, fora de casa, cai em 50%. Dados para serem observados pelo Bonamigo.

 

As equipes com ataques menos positivos são ASA e Salgueiro, que assinalaram apenas seis gols nessas oito rodadas, ou seja, 0,75 gols por partida. Tanto o Asa quanto o Salgueiro marcaram quatro gols em casa e dois fora de casa. Como vemos, a exemplo do Fortaleza, a produtividade dos dois clubes fora de casa cai em 50%.

 

As defesas mais vazadas foram do Confiança, Macaé e Mogi Mirim, que sofreram doze gols, exatamente o inverso dos gols assinalados pelo Fortaleza. O Confiança sofreu cinco gols em casa e sete fora de casa. O Macaé sofreu três gols em casa e nove fora de casa e o Mogi Mirim sofreu um gol em casa e onze fora de casa, ou seja, quando sai dos seus domínios escancara de vez a porteira.

 

Em termos de defesas menos vazadas o Botafogo da Paraíba foi substituído por outro Botafogo, o de Ribeirão Preto, que somente foi vazado em quatro oportunidades.Todos os gols foram sofridos fora de casa, numa demonstração de que a sua defesa em casa é intransponível.

 

O melhor saldo de gols pertence a Fortaleza, CSA e  Botafogo de Ribeirão Preto,  que apresentam um saldo de seis gols positivos. Na contramão da história estão o ASA, o Macaé e o Mogi Mirim, que apresentam um saldo negativo de cinco gols.  

 

Na próxima rodada, quando a Série C chegará à metade da disputa,  teremos um diagnóstico mais acurado do desenrolar da competição. Por enquanto CSA, Fortaleza e Botafogo de Ribeirão Preto se destacam com os times com maior produtividade, tendência que tudo faz crer que será mantida.

 

A tranquilidade  na nona rodada do turno,  ficará por conta do CSA que atuará em casa e  terá um compromisso contra o Cuiabá,  considerado pelos matemáticos como dos mais fáceis, enquanto Fortaleza e Botafogo de Ribeirão terão embates complicados fora dos seus domínios, Moto e Ypiranga, respectivamente.

 

Por hoje c’est fini.    

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.