Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

DESTAQUES DA SÉRIE C APÓS À 11ª RODADA

25 Jul 2017

 

Conforme acontece habitualmente, após cada rodada, colhemos dados estatísticos acerca do desempenho positivo, ou negativo de cada equipe, envolvendo os dois grupos. Após à décima primeira rodada vemos claramente que algumas tendências e performances permanecem inalteradas, ou constantes, casos do CSA, como melhor equipe e do Fortaleza,  como melhor ataque, ou ainda do Mogi Mirim como a equipe de pior desempenho.

 

A equipe de melhor desempenho, cuja dianteira vem sendo mantida em quase todas as rodadas é o CSA, com 20 pontos amealhados em 11 rodadas, ou em 33 pontos possíveis, que lhes conferem um percentual de eficiência de 60,6%. Podemos dizer que o time alagoano vem apresentando um percentual muito próximo ao de campeão visto que em 2014 o Macaé ficou com o cetro máximo apresentando um desempenho de 47,2% e em 2015 foi a vez do Vila Nova, com 61,1%.

 

O Boa Esporte foi campeão no ano passado com um dos melhores desempenhos dos últimos anos, vez que conquistou o título com um percentual de aproveitamento de 68,5%. Calculando-se a média aritmética do desempenho do clubes campeões esses três anos: 47,2+ 61,1+ 68,5 temos que o percentual ideal para conquistar o título gira em torno de 58,9%, de forma que o CSA, 60,6% apresenta números de campeão.

 

O time com o pior desempenho é o Mogi Mirim, que vem mantendo com muita constância esse recorde negativo, visto que somou apenas 9 pontos em 33 possíveis, apresentando um percentual de eficiência, que também é de ineficiência,  de 27,3%. Lembramos que o percentual de desempenho do primeiro dos quatro times rebaixados tem girado, nos últimos anos,  em torno de 38%, de modo que o Mogi pode ser considerado virtualmente rebaixado.

 

O CSA e o Fortaleza se apresentam, entre os 20 clubes, como as equipes com o maior número de vitorias, vez que saíram vitoriosos em 5 rodadas. Na contramão temos o Cuiabá, o ASA, o Confiança, o Bragantino e o Mogi Mirim, que se apresentam como as equipes que menos venceram, com apenas 2 triunfos.

 

A equipe que mais empatou e que continua imbatível neste quesito, o Cuiabá,  obteve 7 empates em 11 possíveis e, proporcionalmente se configura como o clube que mais empatou, na Série C, em toda a sua história.  Os que menos empataram foram Salgueiro, Botafogo (PB), Moto Club e Macaé, com apenas 2 empates.

 

As equipes com o maior número de derrotas são Moto Club, Macaé e Mogi Mirim, que foram derrotadas em 6 rodadas, ou em mais da metade dos seus jogos. Sofrendo menos derrotas temos o CSA, o Cuiabá e o Botafogo (SP), que perderam apenas em uma rodada. Esses clubes se notabilizam pelo elevado número de empates. Quem menos empatou foi o CSA, com 4; Botafogo (SP) tem 6 e Cuiabá, como já vimos,  tem 7.

 

O ataque mais positivo pertence ao Fortaleza, que assinalou 15 gols, ou 1,36 gols por partida, isolando-se na ponta. No lado oposto vem o ASA, com apenas 7 gols assinalados, 0,63 gols por jogo. A defesa do Fortaleza continua no bloco das terceiras equipes menos vazadas, com 8 gols. O Melhor saldo de gols pertence ao Fortaleza, ladeado com o Botafogo (SP), que apresentam um saldo positivo de 7 gols. Diametralmente oposto temos o Macaé, com um saldo negativo de 9 gols.

 

Mogi 2 x 4 Bragantino fizeram o jogo com o maior número de gols, 6. A maior goleada pertence ao Moto Club, que venceu, em casa,  o Confiança por 4 x 0. O artilheiro da competição é o jogador André Luís, do Ypiranga de Erechim, com 6 gols.  Os artilheiros do Fortaleza são o lateral-esquerdo Bruno Melo e o centroavante Lúcio Flávio, ambos com 3 gols.

 

Por hoje c’est fini.

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.