Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

AVALANCHE TRICOLOR

22 Sep 2017

                                                                AVALANCHE TRICOLOR

 

Tenho me incomodado muito com essa história, que aliás, é uma falácia, de que o  Fortaleza nunca saiu da Série C, dentro de campo, isto é,  por méritos próprios, razão por que resolvi contestá-la e acredito que para a minha tese não exista contra-argumentação. Vamos aos fatos.

 

Copa João Havelange foi a denominação dada pelo Clube dos 13 ao Campeonato Brasileiro de Futebol de 2000, em homenagem ao ex-presidente da CBF e da FIFA João Havelange. Impossibilitada pela Justiça de organizar o campeonato, a CBF passou a responsabilidade ao Clube dos 13, mas como este não pôde aplicar os critérios de acesso e descenso do ano anterior, acabou gerando o maior Campeonato Brasileiro de todos os tempos, reunindo 116 clubes de três divisões em um único torneio, dividido em 4 módulos na sua primeira fase. (Wikipédia).

 

Ressalte-se que a CBF ficou impedida de organizar o Campeonato Brasileiro de 2000, que só tinha duas divisões, em razão de uma pugna com o Gama, que se estendeu à Justiça Comum, tanto é que o Clube dos Treze foi obrigado a colocar o clube brasiliense na Primeira Divisão, que foi disputada com 25 clubes, ao invés de 24.

 

“Por não ter aceitado o seu rebaixamento à Série B em 1999 (caso Sandro Hiroshi, ver mais sobre o caso), o Gama, com apoio do Sindicato dos Técnicos de Futebol do Distrito Federal e do PFL, entrou com uma ação na Justiça comum exigindo sua reintegração à série A. Em junho de 2000, devido ao conflito de decisões entre STJD (contra o Gama) e a Justiça comum (a favor), com o processo ainda não tendo sido julgado em todas as instâncias, a CBF ficou impedida de publicar o regulamento do campeonato que deveria iniciar em seguida”. (Wikipédia).

 

“Um acordo com o Clube dos 13 foi a solução, e definiu que essa entidade organizaria um campeonato próprio, que mais tarde seria oficializado pela CBF, inclusive para definição das vagas brasileiras na Libertadores da América de 2001. Porém uma nova liminar obtida pelo Gama determinou sua inclusão no torneio. Com o temor de uma série de liminares de outros clubes, optou-se pela unificação das três divisões em um único certame’. (Wikipédia).

 

Dessa forma,  o Fortaleza disputou o Módulo Amarelo,  composto por times da Série B e da Série C: 36 clubes - os 20 que, pelos critérios de acesso e descenso do ano anterior, deveriam disputar a Série B, menos os 5 últimos citados acima, mais 21 clubes convidados pelo Clube dos 13 de séries inferiores a B, com aval da CBF.

 

Ora, se o Fortaleza estava entre os 21 clubes da Série C de 1999, portanto, por critérios técnicos, foi guindado à Série B, que na realidade não tinha essa denominação, pois todos os 116 clubes foram reunidos numa única divisão. O Fortaleza teria entrado por convite se não estivesse ranqueado e nem atendesse aos critérios do regulamento da Copa João Havelange. Acabemos, pois com essa falácia. Aliás, o Ceará, pelos mesmos critérios, fazia parte desse módulo, o Amarelo.

 

Enquanto o Fortaleza terminava a primeira fase em  primeiro lugar e se classificava para o mata-mata, sendo eliminado pelo Paysandu na etapa seguinte,  o nosso rival, que terminou a etapa em 13º lugar no grupo B, não logrou a classificação. Apresentamos fatos históricos e contra a História  não há argumentos que se sustentem.

 

Passando ao jogo de amanhã, a expectativa em termos da presença da torcida tricolor é a  de que venhamos a ter  cerca de 25 ônibus em Juiz de Fora, tanto de Fortaleza como das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Goiânia e até de Belém. Afora isso muitos torcedores comparecerão em veículos próprios, como vans e carros pequenos, sem falar nos que irão de avião.

 

A carga de 1000 ingressos que veio para Fortaleza, consoante a diretoria do Tupi, já foi vendida. O Tupi, por sua vez, vendeu 2.000 ingressos antecipados e a possibilidade é a de que chegue aos 2.500, no máximo 3.000. O time juiz-forano, por sua diretoria, assegurou,   pelo menos mais 1.000 ingressos. Inicialmente já estão sendo colocados à disposição mais 500.

 

Em Juiz de Fora já  falam na “avalanche tricolor” e a expectativa é a de que o Fortaleza conte com a presença de 3.000 torcedores. Nada que espante ou cause admiração para quem acredita no amor e na fidelidade da Nação Tricolor.

 

PENSAMENTO DO DIA – Nunca desista do seus sonhos, porque eles estão mais perto do que você imagina.

 

Por hoje c’est fini.

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.