Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

NUNCA DESISTA DOS SONHOS, ELES SEMPRE SE REALIZAM!

25 Sep 2017

 TOINHA - 46 ANOS DE DEDICAÇÃO AO FORTALEZA

 

                                     TOINHA E JUBA - DOIS SÍMBOLOS TRICOLORES

 

Alguém pode questionar e existem muitos questionadores, indagando dos deuses do futebol sobre com qual propósito eles deixaram o Fortaleza por tanto tempo na Série C? Seria um castigo? Pensando bem talvez não tenhamos a capacidade de entender os motivos sobrenaturais que levaram o Fortaleza a ficar tanto tempo há “Terceirona”, decididamente uma divisão que não se coaduna com a sua grandeza e tampouco  com a força da sua torcida.

 

Eu acredito que tudo tem um propósito de modo que, no meu ponto de vista, o Fortaleza ficou esse tempo todo na Terceira Divisão para que a sua torcida mostrasse a sua força, a sua vibração, a sua capacidade de absorver os golpes e, sobretudo e,  sobretudo, para que do sofrimento brotasse uma torcida fiel, apaixonada e solidária.

 

Nesses oito anos, sete dos quais de insucesso, a torcida do Fortaleza, ao invés de reclamar de Deus, de boicotar o time e as diretorias, que nem sempre foram vitoriosas,  deram apoio integral ao time e a cada fracasso mostrava o seu amor ao Tricolor de Aço, posto que, qualquer outro clube, do porte do Fortaleza, que permanecesse tanto tempo na Terceira Divisão, estaria fadado a cerrar as portas.

 

O Fortaleza, altivo vibrante e forte, com o apoio da sua torcida foi capaz de dar a volta por cima e de mostrar ao mundo que é um time forte, um time de fibra, um time que não esmorece e nem fenece jamais e que  sua maior riqueza é a sua torcida, posto que, sempre tenho dito que “quem tem um torcida dessas tem em mãos um tesouro”.

 

Durante todo esse tempo essa torcida maravilhosa foi capaz de lotar o Castelão, em pelo menos duas oportunidades,  e foi capaz de levar esse time, que durante o ano inteiro foi duramente criticado, à Série B do Brasileirão,  uma grande conquista, mas que na verdade, sem soberba e sem prepotência, posso afirmar que é apenas um trampolim, muito importante, para a Primeira Divisão, esta sim, o verdadeiro lugar do Leão de Aço.

 

Os que me acompanham recordam, por certo,  que sempre defendi o princípio, que acabou se difundido e ganhando adeptos, de que não adiantava continuar afirmando que os times anteriores eram melhores do que esse, isto porque nenhum deles nos levara à Série B e que, portanto, o time que tínhamos era esse e era esse que deveríamos apoiar.  

 

Está certo que não temos medalhões e que até deveríamos ter jogadores mais qualificados em determinados compartimentos, a exemplo do meio campo, mas a verdade absoluta é que esse time, que talvez não seja uma sumidade tecnicamente, procurou com nenhuma das equipes anteriores, compensar a falta de um melhor desempenho técnico com muita garra e suor.

 

Por essa razão esse time merece todos os nossos encômios, posto que, se lhe faltou inspiração, em contrapartida não faltou transpiração, tanto é que até no jogo de sábado, a despeito da derrota, foi aguerrido dentro de campo e lutou por um melhor resultado até o último minuto.

 

Dizem que um grande time começa por um grande goleiro. O Fortaleza, neste ano teve no Boeck o seu melhor jogador, que além de ser um grande goleiro, que nos dois jogos fez, pelo menos três  defesas milagrosas que nos garantiram na Série B,  é um grande profissional e uma liderança inata,  que encerrou como  poucos a garra e a raça tricolor.

 

E ele está certo na sua assertiva, pois como goleiro titular da Chapecoense era para estar naquele avião do desastre, mas não pode viajar e com certeza, como aventou, porque Deus o        queria vivo e são para compartilhar desses momentos de alegria do Tricolor e da Nação Tricolor. Fazia tempo que eu não via um goleiro, que aliás é muito raro, excetuando o Rogério Ceni, ser o líder e o ídolo de um time. O Boeck o é e que continue conosco para outras jornadas memoráveis.

 

Quero lembrar por fim que o Zago chegou há cinco partidas atrás e num momento em que o Fortaleza vinha de três resultados negativos, dois empates e uma derrota, e que, ainda por cima, estreou com um empate em casa em 1 x 1 contra o CSA e perdeu a   partida seguinte por 2 x 0 para o Confiança, resultados que,  indiscutivelmente, foram muito desalentadores.

 

O time foi para a partida final do turno, necessitando da vitória ou de um empate para se classificar,   vencendo ao Moto por um a zero, contudo, mais importante ainda do que a vitória foi a exibição da equipe,  que passou,  a partir desse jogo,  a infundir confiança na torcida e restaurar as esperanças do acesso. Só por isso o Zago já merecia o nosso apreço, mas a ascensão à Série B já  o coloca, definitivamente,  na história do Tricolor.

 

Vieram os dois jogos dramáticos contra o Tupi. Isto porque no primeiro jogo o empate perdurou por todo o primeiro tempo e no segundo o Fortaleza venceu por 2 x 0, mas desperdiçou duas chances para assegurar, logo no primeiro jogo,  a classificação. Veio o segundo e a derrota por um a zero mexeu com os nossos sentimentos até o apito final. O importante agora é que estamos na Série B e que da Série C surgiu um Fortaleza mais forte e unido e preparado para grandes conquistas, que fazem parte da sua vocação..

 

PENSAMENTO DO DIA – Não deixe nunca de sonhar e de buscar os seus sonhos, porque um dia eles se realizam.

 

Por hoje c’est fini.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PENSAMENTO DO DIA – Não deixe nunca de sonhar e de buscar os seus sonhos, porque um dia eles se realizam.

 

Por hoje c’est fini.

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.