Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

ESCALADA DIFÍCIL DO LEÃO DO PICI.

20 Oct 2017

                                                   LEÃO NO TOPO DA GLÓRIA

 

O Fortaleza fará a última partida da Série C fora de casa, contra o CSA, que tem a melhor campanha da competição e que, em função de ter vencido o Tricolor, por 2 x 1, em  pleno Castelão, ganhou o direito de se sagrar campeão por qualquer empate ou por uma vitória simples. 

 

O Fortaleza, por sua vez, e para que fique bem claro, conquistará o título por qualquer vitória por dois gols de diferença, ou por qualquer triunfo simples, pelo placar de três gols em diante, exemplo, 3 x 2, 4 x 3, e assim sucessivamente. Vitória do Leão, por 2 x 1     levará a decisão para os pênaltis. O Tricolor está diante de uma tarefa árdua, em face do bom desempenho do oponente, porém não impossível.  Como nada acontece debaixo do sol sem os desígnios e consentimento de Deus,  só nos resta dizer contritamente: “O que tiver de ser, será”.

 

A diferença entre as campanhas dos dois clubes é abissal. O Fortaleza se classificou em terceiro lugar com 27 pontos, 2 a mais do que o Confiança, o quarto colocado e 5 a menos do que o CSA, o segundo do Grupo A, o seu adversário da fase final e que neste ano tem sido o seu carrasco.

 

O CSA se classificou como o segundo do grupo, com os mesmos 32 pontos do Sampaio Corrêa, para quem perdeu o primeiro lugar pelo critério de número de vitorias, 8 contra 9. Considerando-se a produtividade em pontos, temos que os dois clubes fizeram a melhor campanha da fase de classificação, tendo em vista que o São Bento, o primeiro do Grupo A, somou apenas  31 pontos.

 

O Tricolor enfrentou nas quartas de final o Tupi, o segundo do Grupo B, que amealhou 28 pontos na primeira fase. O Tricolor eliminou o time mineiro pelo critério de saldo de gols, haja vista que  em casa, na primeira partida,  venceu por 2 x 0 e no embate de volta, nos domínios do adversário, foi derrotado apenas por 1 x 0.

 

Na fase semifinal digladiou-se com o Sampaio Corrêa, o time de melhor campanha na primeira fase, não apenas do grupo A, mas de toda a  Série C. Venceu em casa por 1 x 0, empatando fora de casa em 2 x 2 e somando 4 pontos contra apenas 1 do adversário, credenciando-se,  dessa forma,  para  enfrentar o todo poderoso CSA na grande final. Na primeira partida desta fase perdeu para o adversário por 2 x 1 e neste sábado o enfrentará no Rei Pelé em desvantagem.

 

Nessa retrospectiva temos que o CSA, que foi o segundo do Grupo A, decidiu a ascensão para a Série B contra o Tombense, o terceiro do Grupo B que na fase inicial amealhou 26 pontos. O esquadrão alagoano não tomou conhecimento do time mineiro, vencendo-o fora de casa por 2 x 0 e em casa por 1 x 0. 

 

Foi para a semifinal contra o São Bento, que havia eliminado o Confiança na quartas de final, e que havia sido o time de melhor campanha do Grupo B, com 31 pontos e que detinha a terceira melhor campanha da Série C, atrás somente do Sampaio e do próprio CSA, que somara 32 pontos,..

 

Nesse embate semifinalista o CSA venceu o Tombense fora de casa por 1 x 0 e em casa perdeu pelo mesmo placar, igualdade que levou a decisão da vaga para a final para as penalidades máximas.  Na cobrança de pênaltis foi mais competente, superando o opositor por 4 x 2 e se credenciando para enfrentar o Fortaleza na fase final.

 

Ressalte-se que na primeira partida da final o CSA, confirmando a sua boa campanha e a sua condição de clube com a melhor campanha da Série C de 2017, venceu na condição de visitante,  ao Fortaleza por 2 x 1,  indo para a segunda confronto,  nos seus domínios, com o handicap de poder jogar por qualquer empate e, evidentemente que por qualquer vitória.

 

O pessoal do CSA, diretoria e torcida, avalia que o time alagoano já pode se considerar  campeão da Série B de 2017, isto porque, ratificando o seu bom desempenho em todas as fases,   venceu todos os compromissos fora de casa nos mata-matas:   Tombense por 2 x 0 e o São Bento por 1 x 0, além do Fortaleza por 2 x 1.

 

Está tendo toda essa certeza e essa convicção da conquista do titulo,  em face de nenhum dos dois adversários anteriores ao Fortaleza terem conseguido a proeza de reverterem os resultados negativos e, na sua antevisão, não será o Fortaleza, time que não ostenta uma boa campanha, que irá consegui-lo. A certeza é tão grande que instalaram um relógio no site oficial, contando os dias e as horas para o título.

 

Para vocês terem uma ideia da euforia e da segurança do time alagoano, que é natural e portanto não vamos confundi-las com prepotência ou petulância, quando eu iniciava a escrita dessas minhas mal traçadas linhas, às 14:20h,  o site do CSA anunciava que faltava apenas 1 dia, 4 horas, 39 minutos e  20 segundos para a conquista do cetro máximo.

 

Provavelmente, quando vocês estiverem lendo os meus escritos, na visão dos nossos adversários,  não faltará,   praticamente,    mais nada. Cabe ao Fortaleza adiar essa contagem regressiva, de preferência por alguns anos. Tudo é possível, pois só quem morre de véspera é peru de Natal. Eu acredito, embora o Fortaleza tenha que mudar a sua produtividade da água para o vinho. Amanhã falaremos sobre isso.

 

Pensamento do Dia -  Não é o sol que deixa o dia mais bonito, é a felicidade que está dentro de você que deixa a vida maravilhosa! (Autor desconhecido).

 

Por hoje c’est fini.

 

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.