Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

YES! NÓS TEMOS PRESIDENTE (PARA TRISTEZA DOS ADVERSÁRIOS!)

 

Diariamente, parte da imprensa noticia que o Presidente do Fortaleza se licenciou do cargo, tanto é que um determinado colunista escreveu que o Fortaleza estava “sem técnico e sem presidente”, o que absolutamente não é verdade, isto porque o presidente tricolor só poderá se afastar por dois motivos: Renúncia ou licença.

 

Não acredito na renúncia do presidente Eduardo Girão, tanto pelo arraigado e desmedido amor que devota ao Fortaleza, como em razão de qualquer tricolor se sentir honrado em presidir o clube que ama no seu centenário, que reputo como a maior honraria que um torcedor pode   ter e  almejar, sem dúvidas uma subida honra! 

 

Por outro lado, e ressalvamos que o presidente tem todo o direito de se licenciar, posto que, antes de ser presidente é conselheiro, cuja possibilidade está contemplada pelo artigo 62 do Estatuto, no seu parágrafo único, mas existe uma tramitação legal, estabelecida pelo preceito citado, que estabelece que o pedido deve ser apreciado e aprovado pelo Conselho Deliberativo.

 

Da maneira que a imprensa está anunciando, e não por acaso, é como se o Fortaleza fosse uma   “Casa de Noca” ou “Casa de Mãe Joana”, ou um clube suburbano. Caso esse segmento da imprensa esportiva não saiba, ou faça questão de esquecer, lembramos que o Fortaleza se configura como um dos clubes mais organizados do Brasil, que há muito deixou de fazer a sua eleição a “bico de pena” e que é o primeiro do nosso estado a ter um Estatuto moderno, que aprovou eleições diretas, com a participação do quadro de sócios e a ter um Código de Ética e Disciplina.

 

O torcedor Tricolor não deve dar ouvidos à imprensa sensacionalista que divulga notícias, mesmo sendo mentirosas  infundadas com dois objetivos bem claros e definidos: Ganhar audiência dos adversários do Tricolor, pelo meio mais vil, que é o de divulgar factoides e tentar expor o clube ao ridículo e tumultuar o ambiente tricolor.

 

Continuo defendendo a premissa deque esse pessoal deveria passar bem longe do Pici e não é discriminação com a imprensa, que reputo como um instrumento e um veículo de comunicação essencial para a sociedade, mas uma prevenção   contra aqueles que adentram à nossa casa, são bem recebidos e em contrapartida, ou em “agradecimento” tripudiam o Fortaleza.  Sou uma voz que prega no deserto, mas pregar é preciso.

 

Por hoje c’est fini.

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.