Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

MARCELO PAZ FALA DAS LINHAS GERAIS DA SUA GESTÃO

10 Nov 2017

                               Marcelo Paz - Missão de suceder um grande presidente

 

No Programa Fala Leão de ontem entrevistamos o presidente Marcelo Paz, que fez a sua reentre no novo cargo, uma vez que já o tínhamos recebido, enquanto vice-presidente e diretor de futebol, de modo que fizemos questão de não sermos muito incisivos e insistentes, até porque a nossa intenção era de prestar homenagem e de fazer o devido reconhecimento pelo seu trabalho denodado, no Fortaleza, em que, nesses três anos, tem conseguido algumas conquistas e, sofrido algumas incompreensões.

 

O presidente teve a oportunidade de ressaltar o seu trabalho nesse período, especialmente na função de diretor de futebol, em que conquistou dois títulos, ou   um bicampeonato tirando, inclusive,  a possibilidade do nosso rival conquistar um penta de verdade. Como vice-presidente, acumulando o cargo de diretor de futebol, conquistou o acesso à Série B, um sonho de oito anos acalentado pela Nação Tricolor.

 

Evidentemente que esse foi um trabalho a quatro mãos, que tinha à frente, no cargo de presidente o Jorge Mota e posteriormente o Eduardo Girão, sem falar no imprescindível apoio da torcida, a quem agradeceu como a maior parceira do Tricolor de Aço e com quem espera contar para formar um time competitivo e à altura da tradição do clube.

 

Afirmando que durante o dia de hoje e neste fim de semana podem aparecer novidades, conclamou a torcida, numa sugestão do Programa Fala Leão, cuja divulgação estendeu para todos os programas e setoristas do Fortaleza,  a aderir à Campanha dos 13.000 sócios até este sábado, lembrando que ontem o programa de sócios fechou com 12.689 adimplentes.

 

Foi taxativo e incisivo em afirmar, premissa que sempre defendemos, de que o Fortaleza só poderá atingir a autonomia financeira se for eficiente na busca e na alocação de recursos para tal fim, frente   em que a diretoria está trabalhando com afinco e dentre essas fontes de custeio aponto o Programa de Sócio Torcedor com o mais importante.

 

Provavelmente a entrevista não causou o impacto esperado pela torcida com relação à contratação do Rogério Ceni, até porque poderíamos ter nos utilizado de determinados artifícios para extrair mais do presidente, como apelar para percentuais, ou falar sobre planejamento do treinador, com o fito de encostá-lo no canto da parede. Não fizemos isso para não atrapalharmos as negociações e também para não passarmos falsas expectativas para o torcedor.

 

Sentimos que as possibilidades são boas até porque o Marcelo Paz afirmou que o Fortaleza tem que formar um bom time, já para o campeonato, a primeira e mais importante competição do Tricolor no primeiro semestre, cuja conquista é imperiosa, por se tratar do título do Título do Centenário.

 

Considerando que o Fortaleza já inicia a sua pré-temporada no dia 11 de dezembro, faz-se necessário que a diretoria e a torcida trabalhem juntas para que a composição do elenco fique mais próxima do perfil tido como ideal, donde se faz mister que o torcedor se associe com brevidade para dotar o clube dos recursos necessários às novas contratações.

 

É sabido que nas novas contratações o jogador recebe uma quantia, antigamente chamada de luvas e que atualmente,   corresponde ao pagamento do último salário concernente ao seu contrato de trabalho, uma espécie de segurança contratual que tem por objetivo evitar que ao sair do clube o atleta tenha haveres a receber,  ficando patente,  mais uma vez que o associativismo é o caminho e o suporte para o clube vencer essa importante etapa.

 

Por fim o presidente Marcelo Paz falou do apoio que lhe está sendo dado por grandes ícones tricolores, a exemplo do Ribamar Bezerra e do Eduardo Girão, essencial para que a sua administração chegue   a bom termo, ressaltando a necessidade da presença dos conselheiros na reunião da próxima terça-feira, que será realizada nas dependências do clube.

 

Na Assembleia Ordinária será apresentado e votado o orçamento do Tricolor para o ano de 2018, uma peça contábil de grande significação porque nos dará uma ideia do montante de investimento do clube, durante o ano e da respectiva origem das fontes de recursos que, no futebol moderno não tem mais o predomínio  das rendas de bilheterias, também importantes, mas não tanto quanto às demais, a exemplo da arrecadação via quadro de sócios, constante e previamente conhecida.

 

Na Assembleia Extraordinária, realizada na mesma data e ato continuo ao encerramento da primeira, serão apresentados os novos diretores do clube, Financeiro e Futebol, que se juntarão aos remanescentes e não-eleitos, que marcharão com o presidente nessa árdua missão de consecução dos dois principais objetivos tricolores no próximo ano: Campeonato e ascensão à Série A.

 

Não foi uma entrevista bombástica, como muitos queriam, mas o presidente falou das linhas gerais de planejamento da sua gestão e nos deixou otimistas, até porque se reportou ao trabalho que está sendo feito no sentido de angariar novos patrocínios. Desejamos boa sorte ao presidente Marcelo Paz, nesta árdua empreitada, ao passo que conclamamos aos grandes tricolores para que se mantenham unidos e à torcida para que o abrace de corpo e alma. A soma de todos esses esforços tornará a missão mais amena.

 

Pensamento do Dia – Viver de amor é navegar sem cessar, semeando a paz, a alegria em todos os corações. (Santa Teresinha do Menino Jesus).

 

Por hoje c’est fini.  

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.