Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

PRESIDENTE EDUARDO GIRÃO É HOMENAGEADO NA "NOITE DAS PERSONALIDADES ESPORTIVAS"

12 Dec 2017

 

No ano passado, à essa época, o Mercado do Futebol Brasileiro já se encontrava em ebulição. No ano em curso, em quaisquer das divisões, as contratações e renovações estão acontecendo em ritmo muito lento, abrindo caminho para a imaginação e para as especulações. Se todos os jogadores  tidos como prováveis contratados pelo Fortaleza acertassem o clube já estaria com um plantel acima de trinta profissionais.

 

Já falamos sobre o nível de contratações do Corinthians e de clubes da Segunda Divisão, a exemplo de Paysandu, Sampaio Corrêa, CSA e CRB  e agora vamos evidenciar a política de renovação da Ponte Preta, recém rebaixada da Primeira Divisão e que, pelo que se noticia, não está muito boa de bolso, razão por que vai ser mais comedida nas contratações.

 

O time campineiro vai apostar nas categorias de base, de onde serão guindados para o time profissional o zagueiro Reynaldo, o lateral Emerson e o atacante Yuri, que se apresentarão no dia 2 de janeiro. Ao lado do volante Marquinhos, os três foram destaques do Paulista Sub-20, em que a Ponte Preta se sagrou vice-campeã.

 

Reynaldo, Emerson e Marquinhos foram escolhidos para a seleção dos melhores do torneio, enquanto Yuri terminou como artilheiro da competição, com 28 gols. Salutar que a Ponte Preta consiga encontrar soluções caseiras, fator que não ocorre com muitos clubes neste período de pouquíssima renovação no futebol brasileiro.

 

Chegamos ao final da Série A, por exemplo, e o jogador eleito o melhor da competição foi o Jô, que convenhamos já tem um grande caminho percorrido. A safra é tão ruim que não consigo me lembrar de um jovem atleta que possa ser reputado com uma das maiores revelações do certame e essa falta de novos craques nos preocupa.

 

Temos sempre que enaltecer a torcida tricolor que,  mesmo num ritmo de certa forma moroso, vem dando a resposta aos apelos da diretoria, atitude que merece todos os nossos encômios. No momento em que redigíamos essas mal  traçadas linhas contávamos com 13.356 sócios, situação que já permite ao Fortaleza trabalhar de forma um pouco mais confortável.  

 

Diante desse número de sócios, embora eu não goste e nem costume abordar assuntos sobre os quais não tenho segurança absoluta e tampouco conheço os meandros da administração, arriscar-me-ia a dizer que a possibilidade de que o Tricolor aufira um montante líquido em torno de R$. 400.000,00, ou um pouquinho mais, é muito grande e não seria um absurdo.

 

Em se falando em Sócio Torcedor, a diretoria tricolor, dentro do projeto de interiorizar o processo, esteve neste sábado em Quixadá, levando para os torcedores tricolores daquele município e da região a possibilidade de se associar de forma mais cômoda e num dia festivo.

 

A visita foi um sucesso, visto que se associaram 61 torcedores e à medida em que o projeto for sendo divulgado, a perspectiva é a de que venha ser um sucesso absoluto nas demais cidades que forem visitadas.

 

É “o Fortaleza em movimento” e indo ao encontro do seu torcedor, decerto uma nova mentalidade que valoriza o cliente, o torcedor, que é vital para a consecução dos seus objetivos. Unido à torcida o Fortaleza irá cada vez mais longe.

 

Os ares de Quixadá fizeram bem ao Tricolor sob todos os aspectos. O Fortaleza sagrou-se campeão da II Copa Interestadual de Handebol Feminino ao derrotar o Cuca Barra por 22 x 11. Nas semifinais o Tricolor derrotou a Liga Quixadaense por 20 x 10.

 

Ressalte-se que a equipe fez 5 partidas em 3 dias e apesar do desgaste físico das atletas, conquistou o título de forma invicta, num feito que merece todo o nosso aplauso e que demonstra, inquestionavelmente,   a tradição do Fortaleza em outras modalidades esportivas.

 

Na Festa  da “Noite das Personalidades Esportivas do Ano”, que tem uma tradição de mais de 40 anos e é organizada pelo  jornalista Sérgio Ponte, o presidente Luiz Eduardo Girão foi homenageado pela sua contribuição ao futebol cearense, mormente pela implantação e implementação da sua filosofia da paz nos esportes.

 

Não apenas isso, posto que o nosso presidente, conseguiu tirar o Fortaleza do ostracismo, mergulhado que estava há oito anos na Série C, guindando-o à Série B, quando todos, em razão da campanha irregular da equipe em outras competições, estavam ressabiados e não acreditavam muito no acesso.

 

Foi um acesso, tido como quase impossível,    conseguido   sob a égide da fé, de muita oração e de muito  trabalho por parte do presidente e dos seus pares. A homenagem se constituiu como das mais justas, uma vez que se tivesse sido eleito o dirigente do ano a honraria também era merecida.

 

Pensamento do dia - Penso que a fé é a extensão do espírito. É a chave que abre a porta do impossível. (Charles Chaplin).

 

Por hoje c’est fini.

 

 

  

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.