Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

O FORTALEZA SEGUE CONTRATANDO SILENCIOSA E CRITERIOSAMENTE

20 Dec 2017

Contratar é muito difícil, isto porque os responsáveis pelas contratações são policiados como se estivessem sob um Regime Nazista e monitorados passo a passo pela Gestapo. Pode ser um exagero da minha parte, ou até um floreio ou um circunlóquio   desnecessário com objetivo de rebuscar e de requintar o texto, mas não é bem assim.

 

Quando se trata do Fortaleza alguns analistas, não todos para que separemos o joio do trigo, ou par melhor distinguirmos uns dos outros,  costumam ser mais críticos e contundentes com relação às contratações tricolores, do que os próprios críticos de cinema que, não raro, são mais condescendentes na exposição dos seus pontos de vista e nas suas análises sobre determinadas produções cinematográficas.

 

A nossa tese tem razão de ser, isto porque, e mesmo batendo repetidamente na mesma tecla com o fito de embasar melhor a nossa linha de raciocínio, visto que, recentemente o Sampaio Corrêa contratou um jogador da Segunda Divisão do futebol paraense, mesmo caso do Paysandu, que ontem firmou contrato com o lateral-direito Mateus, da Desportiva, que disputa também a Segunda Divisão do citado estado.

 

Fosse quaisquer dessas duas contratações feitas pelo Tricolor, os experts fariam uma verdadeira revolução e o mundo desabaria sobre a cabeça de quem tivesse indicado o atleta, porque aqui funciona assim: Passou dos 30 anos o jogador pode ter a   bagagem que tiver é considerado “refugo” e é capaz de alguém afirmar que o mesmo somente foi contratado porque tem alguém levando uma parte dos salários. Para boa parte da nossa crônica a regra é enlamear de forma irresponsável os nomes dos dirigentes, sem que providências sejam adotadas.

 

Por outro lado, na eventualidade do atleta ter menos de 20 anos, também é “um deus nos acuda”,  posto que,  parcela da imprensa, quase sempre a mesma, reputa a contratação como uma aposta desnecessária e inconsequente, vez que “o clube, que disputará competições importantes não pode e não deve se dar ao luxo de se arriscar fazendo contratações que podem vingar ou não”.

 

Vocês já imaginaram se em 1957 o Santos se tivesse deixado levar e se influenciar por esse tipo de opinião?  O Pelé, com apenas16 anos não  seria titular da equipe, e a sua genialidade não teria despontado para o mundo, assim como outros garotos santistas da época, todos geniais, a exemplo do Coutinho, que foi reputado como o melhor companheiro de Pelé no ataque, em todos os tempos.

 

O Fortaleza, que já havia recentemente apostado num jovem valor, o Jean Mota, que está se sobressaindo a contento no Santos, ora aposta no Jacaré de 19 anos, revelado pela equipe do Icasa e que pelo seu futebol, tem amplas possibilidades de se destacar como um dos grandes atacantes do futebol brasileiro.

 

E por que não apostar? O Fortaleza sempre se saiu bem apostando e confiando em jovens valores. Poderia citar uma centena, mas lembro apenas o Zé Paulo, o  Louro, o Pedro Basílio, o Facó e atualmente o Everton, que está brilhando no Grêmio. O próprio Ari, que se destaca na Rússia e que  arrendou o Uniclinic é cria do Tricolor.

 

Depreende-se, portanto, que o clube tem mais é que jogar as suas fichas e investir em novos valores, porque, tradicionalmente se constitui como um dos que mais revelam jogadores, a exemplo do Bruno Melo e do próprio Felipe, que veio da base do Maranguape e que ganhou nome no Tricolor. Quanto à essa parcela da imprensa, deixemo-la “catando cavaco”.

 

O Fortaleza anunciou mais um jogador, o zagueiro o  Diego Jussani, de 30 anos, 1,89cm e que  atuou neste ano pelo Guarani de Campinas, realizando 51 jogos e marcando 4 gols e que, no meu modesto ponto de vista,  é um excelente zagueiro.

 

 

Diego Jussani, além do Guarani, esteve atuando pelos seguintes clubes: CRB, São Bernardo, ABC, Joinville, Bahia e Ponte Preta e que tem um bom currículo. Não satisfeita, porém, a imprensa dos contras, a urubulina, já exarou as suas críticas, alegando que o atleta vem do Guarani, que quase era rebaixado, segundo sustenta. Redarguimos afirmando que o Corinthians recentemente contratou o centroavante do rebaixado Avaí e nem por isso o mundo veio abaixo.   

 

O Fortaleza chegou à sua  nona contratação para 2018:      Diego Jussani (zagueiro), Roger Carvalho (zagueiro),  Derley (volante),  Alan Mineiro (meia), Edinho (meia),  João Henrique (meia), Gérman Pacheco (meia atacante), Gustavo (atacante) e  Léo Natel (atacante), todos, teoricamente, bons jogadores.

 

Pensamento do Dia - O melhor catalisador para o emburrecimento é o apego incondicional a uma ideologia política. (Márcio Arnaldo Borges).

 

Por hoje c’est fini.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.