Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

SURPRESAS NA TERCEIRA RODADA DO CEARENSE

22 Jan 2018

 

O Campeoanto Cearense, na sua terceira rodada, teve sequência neste final de semana, com os seguintes jogos:  No Domingão: Horizonte 1 x 2 Floresta; no Presidente Vargas: Ferroviário 2 x 1 Tiradentes; no Morenão: Iguatu 2 x 1 Ceará e no Castelão: Fortaleza 2 x 0 Maranguape. O outro jogo da rodada, envolvendo Guarani de Juazeiro x Uniclinic está remarcado para o dia 7 de fevereiro, no Romeirão.

 

Em decorrência desses adiamentos o Campeonato Cearense tem três jogos atrasados. Dois pela primeira rodada: Fortaleza x Tiradentes, que será disputado no dia 31 de janeiro e Ceará x Uniclinic, que acontecerá no dia 2 de fevereiro, ambos no Castelão.

 

Por fim o embate sobre o qual nos reportamos, envolvendo Guarani de Juazeiro x Uniclinic, que ocorrerá no dia 7 de fevereiro, no Romeirão. O Uniclinic passa a ser o time com mais jogos adiados, dois, tendo como adversários o Ceará e o Guarani.  Somente no dia 7 de fevereiro é que teremos a tabela atualizada.

 

Nesta rodada tivemos duas surpresas. A primeira foi estabelecida na partida entre Horizonte 1 x 2   Floresta, isso se considerarmos que o time horizontino sempre reinou absoluto nos seus domínios e que, sendo apenas uma caricatura do time que costuma fazer boas campanhas, vem de duas derrotas consecutivas, fora de casa para o Ferroviário e de goleada, 4 x 0 e em casa para o Floresta. Os analistas, com certeza não esperavam esses dois tropeços do Horizonte.  

 

O Ferroviário venceu o Tiradentes de virada, de certa forma se reabilitando da derrota por 3 x 1 para o ABC, pela Copa do Nordeste, em que o time da Barra do Ceará decepcionou, não apenas a sua torcida, mas a todos que acreditavam que pudesse fazer uma boa exibição, diante do ABC, que vem do trauma de um rebaixamento em 2017, para a Série C.

 

O Ceará, por certo surpreendeu negativamente a todos, tanto à sua à torcida, quanto aos analistas, isto porque subentende-se que um time de Série A deveria ter reservas à altura dos titulares, de forma que não se justifica a desculpa de que perdeu com um time alternativo e, ainda por cima,  de virada!

 

Acredito piamente que à essa altura do campeonato, que está apenas começando, os dirigentes do Time de Porangabuçu estão com um pé atrás e repensado a formação do elenco, até porque a vitória eram favas contadas e a derrota não estava nos seus planos. Acredito que agora vão pensar duas vezes antes de escalarem um time misto.

 

Por fim o Fortaleza venceu o Maranguape por 2 x 0, cujo placar não diz o que foi o jogo. No primeiro tempo o Fortaleza mandou absoluto e poderia ter construído o placar ou “matado o jogo”, conforme dizem os comentaristas, mas lhe faltou gana e vontade de vencer. Foi apenas um time burocrático, que se conformou em vencer apenas pelo placar mínimo.

 

No segundo tempo a coisa mudou de figura. O Fortaleza continuou sonolento e sem se interessar pelo placar e o Maranguape cresceu em campo e por pouco não empatava, se não fosse uma defesa arrojada do Boeck. O Fortaleza continuava sem tomar as rédeas da partida e correu riscos desnecessários.

 

Na realidade o meio de campo não funcionou, isto porque o João Henrique não reeditou as boas atuações e o Pablo e o Alípio foram figuras apagadas, de modo que o ataque não foi acionado. Aliás gostaria muito de saber, e venho afirmando isso desde o ano passado, qual é o papel tático do Pablo, que não defende, não arma e não ataca e tem a preferência dos trinadores Eles devem enxergar um jogo que eu não enxergo.

 

O Rogério fez uma leitura do jogo diferente da minha, isto porque, ao invés de sacar um dos dois, Pablo ou Alípio, tirou o Léo Natel, que era um dos poucos que se salvavam. Depois sacou o João Henrique, que não tinha o apoio dos demais meio-campistas, sendo prejudicado no seu rendimento e continuou com o Alípio e o Pablo, que nasceram virados pra lua.

 

Só na terceira substituição é que resolveu sacar o Alípio fazendo entrar o Edinho. Se fez isso para preservar o jogador não conseguiu, isto porque parte da torcida mostrou o seu descontentamento na hora da substituição.

 

No finzinho o Fortaleza fez o segundo gol que foi uma pintura a óleo. O Tinga recebeu uma bola do Edinho, penetrou pela direita e sem angulo e quase na linha de fundo deu voltando na medida para o Gustavo fazer um lindo gol de bicicleta, sem dúvidas o mais bonito do Brasil no dia de ontem. Aliás, vocês sabem a diferença entre a  Angélica e o Gustavo? A diferença é que a Angélica vai de táxi e o Gustavo de bicicleta.

 

Destacaram-se na partida o Boeck, posto que no momento em que foi solicitado se houve bem. O Anderson Uchoa, como sempre muito regular. O Gustagol, não apenas pelo gol, mas porque, completamente isolado, sempre buscou alternativas e o Bruno Melo, que por muito pouco não fez um gol” a la Neymar”.

 

O Laudo Natel, enquanto esteve em campo também merece o nosso reconhecimento e o Tinga que foi pura explosão no momento do segundo gol. Aliás nos nossos belos gols o Tinga, mesmo muito desengonçado está presente. Foi assim no gol do Cassiano.

 

Pensamento do Dia - Não devemos ter medo das novas ideias! Elas podem significar a diferença entre o triunfo e o fracasso. (Napoleon Hill).

 

Por hoje c’est fini.

 

 

 

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.