Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

DIAGNÓSTICO DO CEARENSE - 5ª RODADA

 

A quinta rodada do cearense 2018 somente se completará no dia 7 de fevereiro mediante o encontro entre Guarani de Juazeiro e Uniclinic, em jogo válido pela segunda rodada, que deveria ter sido disputado no dia 19 de janeiro, de modo que foram disputados até aqui vinte e quatro partidas, nos quais ocorreram   quatorze vitórias dos mandantes, seis empates e cinco triunfos dos visitantes.  

 

Nesses vinte e quatro jogos foram marcados setenta   e quatro gols, sendo quarenta e cinco assinalados   pelos clubes mandantes, que correspondem a 60,8%   e vinte e nove marcados pelos clubes visitantes,  que representam 39,2% dos gols anotados nessas cinco rodadas. A média de gols é de 3,08 tentos por partida.  Os dois principais artilheiros são o Gustavo,  do Tricolor de Aço,  com sete gols marcados  e o Edson Cariús, do Floresta,  que assinalou cinco.

 

Continuando o raio x do campeonato temos que o Fortaleza se configura como o time com o maior número de vitorias, tendo somado quatro; Ferroviário, Floresta, Guarani de Juazeiro e Iguatu são as equipes que mais empataram, apresentando um total de dois empates cada, e o Guarani de Juazeiro, com três derrotas, se constitui como a equipe com mais resultados negativos.

 

O Fortaleza tem o ataque mais positivo, com doze gols assinalados, média de 2,4 gols por embatye  e o Maranguape,  o menos positivo, com zero gol marcado. O Tricolor tem a defesa menos vazadas, com apenas 4 gols, ostentando uma média de 0,8 gols por jogo, enquanto o Horizonte tem a defesa mais vazada com dez gols sofridos, média de 2 gols por partida.

 

Continuando a análise temos que  o Ceará na noite de ontem venceu o Uniclinic por 2 x 0, chegado a oito pontos e assumindo a quinta colocação. Tudo bem porque uma vitória de um time grande sobre um pequeno está dentro da normalidade, contudo, causa espécie as condições em que a mesma foi construída, fato que evidenciamos para que, sempre que busquemos avaliar erros de arbitragens, estes estejam registrados nos nossos alfarrábios.

 

A Time de Porangabuçu vencia por 1 x 0 quando o Uniclinic empatou, numa bola de média distância, que entrou cerca de um metro, sendo que a posição da mesma dentro do gol poderia ser vista a olho nu, entretanto o árbitro Magno Cordeiro e o seu auxiliar Eleutério Marques, em cima do lance,  não enxergaram o  gol, um verdadeiro absurdo.

 

O mais interessante é que o Chamusca, sempre muito correto, quando treinava o Fortaleza, ao passar para o  lado de lá  se contaminou, pois declarou que “sentiu  vontade e se ajoelhar e agradecer a Deus pelo erro”. Ainda teve o desplante de afirmar que o Ceará é sempre garfado e que agora aconteceu o contrário.

 

Que futebol o Chamusca está vendo, uma vez que   em quase todas os embates Ceará é “ajudado” pelas más arbitragens, enquanto o Fortaleza vergonhosamente garfado? Costumo dizer que “com a convivência até perna quebrada pega”. Dito e feito o Chamusca, a quem sempre admirei pela hombridade, me parece tosquiado e contaminado com a filosofia de “levar vantagem em tudo”, própria e característica do time que dirige.

 

Escândalo vergonhoso no futebol brasileiro, que agora vem à tona, mas que infelizmente, para defender interesses escusos, foi abafado pelas autoridades esportivas, numa prova de que a corrupção e as falcatruas, a exemplo do que ocorre na sociedade, também acontece no futebol, como consequência natural da impunidade.  Depois falaremos mais sobre esse assunto. Vamos colher mais dados visando dissecá-los com mais propriedade. E quem está envolvido? Um doce para quem acertar.

 

O Ferroviário, seguindo os passos do Uniclinic no ano passado, começa a dar vexame. Dois jogos, duas derrotas, 3 x 1 para o ABC e ontem 4 x 1 para o Vitória. São sete gols sofridos e apenas um marcado. Ruim para o futebol cearense, vez que o narrador e o comentarista da Interativo, de vez em quando lembravam que quem se encontrava em campo era o vice-campeão cearense.

 

Tenho reiterado que no nosso quadro de árbitros o mais confiável é o Avelar Rodrigo, os outros, com uma ou outra exceção, não gozam do nosso apreço. Ontem o Avelar se houve muito bem arbitrando CRB e Confiança, o Magno, como se diz na Paraíba, “sujou a rabichola” e o César Magalhães, que  é useiro e vezeiro em nos prejudicar, vai apitar o clássico. Essa escolha causa-nos apreensão. Marquemo-lo colado.

 

Pensamento do Dia -  Brasil? Fraude explica. (Carlito Maia).

 

Por hoje c’est fini.

 

 

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.