Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

DE BATE-PRONTO

1 – As duas últimas rodadas do Campeoanto Cearense sofreram alterações significativas. A nona rodada,  por exemplo, teve o adiamento de uma semana, com o fito de evitar conflitos de datas nos jogos do nosso rival e do Ferroviário, pela Copa do Nordeste e Copa do Brasil.

 

2 – A oitava rodada será disputada nos dias 17 e 18 de fevereiro.

Dia 17 de fevereiro – Sábado:

Tiradentes x Iguatu - Raimundo de Oliveira – 16h              

Uniclinic x Horizonte - PV - 16h            

Fortaleza x Floresta - Castelão - 18h

Dia 18 de fevereiro – Domingo:          

Ferroviário x Guaraju - Raimundo de Oliveira – 16h        

Maranguape x Ceará - PV - 17h  

 

3 – A nona rodada será disputada no dia 25 de fevereiro, domingo e todas as partidas acontecerão no horário das 17h.

Tiradentes x Ceará - Castelão   

Iguatu x Guarani (J) - Morenão              

Floresta x Uniclinic - Raimundo de Oliveira        

Horizonte x Maranguape - Domingão             

Ferroviário x Fortaleza – Presidente Vargas 

 

4 – Os esquemas táticos mais utilizados no mundo são o 4-4-2 e o 3-5-2, seguidos do 4-3-3. A FIFA reconhece oficialmente apenas seis esquemas táticos: 1-1-8; W.M; 4-2-4; 4-3-3;  4-4-2 e 3-5-2. Os sistemas 1-1-8 e W.M são do arco da velha.

 

5 – O esquema 1-1-8 foi usado nos primórdios do futebol e se configura como a primeira estratégia que apareceu no futebol mundial. Foi utilizada de   1863 até 1871.

 

6 – O W.M ou 3-2-2-3 foi utilizado a partir dos anos 20, quando foi alterada a lei do impedimento que, até então,   determinava  que os atacantes teriam que ficar atrás de três defensores, passando a ter que ficar, a partir da década aludida, apenas atrás de dois, regra que hoje ainda perdura. A modificação visava tornar o futebol mais ofensivo.

 

7 – Alguém sabe dizer em que link do site da Federação podemos encontrar a escala de árbitro para a sétima rodada? Existe escala divulgada ou é secreta?

 

8 – parte da crônica ainda insiste em colocar a culpa do segundo gol do Ceará na desatenção do ataque do Fortaleza, segundo a qual, os atacantes tricolores  não  marcou o Pio.

 

9 - A desatenção realmente existiu, mas a culpa é do árbitro que não cumpriu a regra, vez que, ao invés de  proceder a cobrança de bola ao chão, chamando dois jogadores para fazerem parte do ato, como manda o figurino,  deu a bola no pé do Pio e correu para o meio do campo com uma velocidade impressionante.

 

10 – Fico meio frustrado ao me deparar com esse tipo de comentários, principalmente quando parte de profissionais que, mesmo sendo torcedores do Ceará, sempre os reputei como  imparciais.   Querer livrar a cara do César Magalhães é demais!

 

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.