Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

O DESEMPENHO DO FORTALEZA EM SETE RODADAS É MELHOR DO QUE O DO ANO PASSADO

12 Feb 2018

 CENI APÓS VITORIA SOBRE O GUARANI QUE CLASSIFICOU O FORTALEZA

 

Terminada a sétima rodada o Fortaleza, mercê da vitória incontestável sobre o Guarani de Juazeiro, por 4 x 0, não só manteve a primeira colocação, como garantiu matematicamente a classificação para a próxima fase, tendo em vista que, tendo amealhado quinze pontos, não poderá mais ser   alcançado pelo Horizonte, o sétima, com sete   pontos  e que pode chegar apenas e tão somente a treze pontos.

 

O Ferroviário que bateu o Maranguape por 2 x 1 na tarde deste domingo, chegou a quatorze pontos e também garantiu a classificação antecipada, visto que similarmente ao  que ocorreu com relação ao Fortaleza, o Horizonte também não poderá ultrapassá-lo.

 

O Maranguape ainda não está matematicamente rebaixado, pois ainda pode chegar a sete pontos, enquanto o  Guarani, o primeiro fora da zona de degola,  tem seis. Respira, no entanto, por aparelhos e na próxima rodada não pode nem sequer, empatar.

 

Voltamos ao Fortaleza para dizer que as duas últimas partidas contra Floresta e Ferroviário servirão de base para entrosar o time e para consolidar a ponta da tabela, haja vista que o Rogério Ceni ainda não tem a onzena titular completamente definida, existindo dúvidas,    especialmente no meio de campo, onde o treinador tricolor ainda não encontrou o quarteto ideal.

 

Fazendo um balança da sétima rodada  temos que o Fortaleza se configura como  o time com o maior número de vitórias, cinco, seguido de Ferroviário, Ceará e Uniclinic, todos com quatro.  O Fortaleza é o único time que, ao lado do Guarani de Juazeiro ainda não empatou. Em número de derrotas vem no segundo pelotão, ao lado do Ceará, com duas. O primeiro pelotão é ocupado por Ferroviário, Floresta e Iguatu, todos com uma.

 

O Fortaleza com quinze pontos, em vinte e um   possíveis, apresenta um percentual de aproveitamento de 71,43%. Tem o ataque mais positivo, com dezesseis gols, média de 2,85 gols por partida. Apresenta a defesa menos vazada, com seis gols, ou 0,85 gols por jogo. No nosso ponto de vista a defesa necessita melhorar um pouco, caindo para em torno de 0,6 gols por embate.

 

No Campeoanto como um todo, em trinta e cinco partidas,  foram marcados cento e três gols, ou 2,94 gols por jogo, um pouquinho acima da média do Tricolor, de 2,85, o que indica que também precisamos avançar um pouco mais ofensivamente. A primeira rodada foi a que menos teve gols assinalado, dez, enquanto a segunda foi a campeão, com vinte e um.

 

Os mandantes marcaram cinquenta e seis gols, que corresponde a 54,36% em relação ao total de gols marcados no campeonato, enquanto os visitantes assinalaram quarenta e sete, que correspondem a um percentual de 45,63%.

 

O Ceará aplicou a maior goleada, 5 x 2 no Guarani, cujo jogo, ao lado de Guarani 4 x 3 Tiradentes, faz parte das partidas que tiveram mais gols assinalados, num tal de sete.  O Fortaleza foi quem mais goleou, 4 x 0  no Uniclinic e 4 x 0 no Guarani de Juazeiro, este literalmente fora de casa, isto porque no jogo contra o  Uniclinic o Fortaleza  era o visitante, mas a partida se realizou em campo neutro.

 

O Ceará  é o time que mais marcou gols na condição de mandante, dez, seguido de Fortaleza e Ferroviário, com sete. Na contingência de visitante o Fortaleza se constitui na equipe que mais marcou gols, nove, seguido do Uniclinic com sete.

 

Terminada a sétima rodada e visando fazer uma comparação do desempenho técnico do Fortaleza nessas sete etapas com o mesmo número de rodadas de 2017, temos que o Tricolor em 2017 havia somado um ponto a menos, quatorze contra quinze.  Tinha uma vitória a menos, quatro contra cinco, dois empates a mais e mesmo número de derrotas, duas.

 

O ataque somava apenas onze gols contra os dezesseis atuais, enquanto a defesa de 2017 era mais consistente, vez que sofrera apenas três gols, contra seis deste ano. O desempenho técnico do Fortaleza neste ano é melhor, 71,43% contra 66,66% de 2017. Pelos dados apresentados depreende-se que, acertando a defesa, o Tricolor certamente encontrará o ponto do doce.

 

Pensamento do Dia – Se queres conhecer o passado, examina o presente que é o resultado; se queres conhecer o futuro, examina o presente que é a causa. (Confúcio).

 

Por hoje c’est fini.

 

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.