Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

PERDEMOS UM POUQUINHO DE TERRENO

20 Feb 2019

 

PERDEMOS UM POUQUINHO DE TERRENO

 

Faltando dois jogos para completar a terceira rodada da segunda fase podemos afirmar que, teoricamente, visto que dizem que na prática a teoria é outra, vez que “uma teoria só é considerada como tal se for provada pela prática”, o nosso rival encontra-se numa posição privilegiada, dentre os três primeiros colocados.

 

Ceará, Ferroviário e Fortaleza, nessa ordem da tabela têm 6 pontos, contudo, apenas o time de Porangabuçu é o único dos três que tem apenas dois jogos, enquanto os demais têm 3 e, para completar o seu estado de graça, receberá nessa quarta-feira o Guarany no Castelão, num confronto em que é o favorito.

 

Na mesma situação do Ceará, com um jogo a menos estão o Guarany, que se digladia fora de casa com o Ceará; o Horizonte e o Floresta que também medem força nessa quarta-feira. Nesse embate, em que pese o Horizonte jogar em casa, o Floresta tem um leve favoritismo.

 

Feito esse preâmbulo temos que após o encerramento da terceira rodada, cada clube terá mais quatro jogos pela frente, levando-nos a fazer um levantamento dos adversários de cada um e os seus respectivos graus de dificuldades.

 

Começamos pela Fortaleza que enfrentará na condição de mandante o Ferroviário, o Ceará e o Floresta e enquanto visitante o Horizonte.  Terá pela frente dois clássicos e conforme dizia o Jardel “clássico é clássico e vice-versa”, ou seja, pode acontecer qualquer resultado.

 

O Horizonte, por sua vez, mesmo tendo se classificado na última posição e estando na lanterna da segunda fase, historicamente tem surpreendido o Fortaleza, ou aprontado para cima do Tricolor, como se diz popularmente, especialmente quando  na lanterna das competições, conforme aconteceu no ano passado. A conclusão é a de que o Tricolor não terá moleza pela frente.

 

O Ceará, que conforme dissertamos, se encontra num céu de brigadeiro, afora o Guarany amanhã, cujo embate já analisamos, terá o Atlético em casa, que surpreendeu o Fortaleza e Barbalha, Fortaleza e Ferroviário.

 

O Barbalha ainda não se reencontrou nessa segunda fase e a estimativa é a de que não será um páreo a altura do time de Porangabuçu. Restam os dois clássicos, que é bom que se diga que se realizarão em campo neutro, em que tudo pode acontecer, só não pode nada, pois quaisquer que forem os placares alterarão a tabela.

 

O Ferroviário, na condição de visitante terá o clássico com o Fortaleza e o Guarany, dois adversários indigestos e, na condição de visitante, medirá forças com Horizonte e Ceará. O jogo contra o Ceará será em campo neutro, mas pelo que produziu até aqui o time de Porangabuçu é o favorito.  Tudo indica que verá urso de gole.

 

O Atlético que, ao vencer o Fortaleza parece ter engrossado o pescoço, defenestrando o Guarany da quarta posição, duelará em casa com Floresta, teoricamente mais fraco e Guarany, um osso mais duro de roer.

 

Fora de casa guerreará e todos os jogos doravante serão uma verdadeira guerra,    com Horizonte, presumidamente mais fraco e Ceará que, em quaisquer circunstâncias será sempre o favorito. A sua briga será com o Guarany pela quarta posição.

 

O Guarany, que foi defenestrado da quarta posição em decorrência da vitória do Atlético sobre o Fortaleza, receberá em casa Floresta, Ferroviário e Barbalha e fora de casa defrontar-se-á com Ceará e Atlético. O jogo contra o Atlético, pelo que prenuncia, pode estar decidindo uma vaga na semifinal.

 

Comparando-se a caminhada de Atlético e Guarany, que brigam por uma vaga no G-4 final, somos da opinião que será uma luta de foi no escuro e tudo muito indefinido, isto porque enquanto o Atlético, presumidamente, enfrentará adversários menos complicados, o Guarany, à exceção do Ceará, recebe os mais qualificados em casa e esse pode ser o diferencial.

 

Barbalha com 1 ponto e Horizonte com 0  no momento estão fora do páreo, tudo fazendo crer que serão os trapalhões dessa reta final, pois como francos atiradores poderão tirar o pão da boca de muita gente.

 

O que um colunista bem acolá tem em comum com a Rede Globo? Simples. O cronista em questão vive tentando fabricar crises no Fortaleza, enquanto a Rede Globo diariamente procura criar crises no Governo Bolsonaro. Elementar meu caro Watson!

 

Em tempo: Não sou da Direita e nem da Esquerda: Sou BRASIL! BRASIL de bandeira verde e amarela e Pátria Amada, Salve, Salve!

“Já podeis, da Pátria filhos

Ver contente a mãe gentil

Já raiou a liberdade

No horizonte do Brasil”. (Hino da Independência).

 

Por hoje c’est fini.

 

  

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.