Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

CEARÁ – PREOCUPADO EM “CASSAR” ESTRELAS!

18 Mar 2019

 

 

CEARÁ – PREOCUPADO EM “CASSAR” ESTRELAS!

 

Os que acompanham a minha modesta coluna, que já tem cerca de 10 anos,   sabem dos meus esforços nas defesa da bandeira da união fora de campo entre os nossos dois principais clubes, isto porque a  partir  do momento em que começaram a brigar ferrenhamente, um procurando, principalmente o Ceará, estripar e desventrar o outro, o nosso futebol começou a crescer para baixo, tal qual rabo de cavalo.

 

Essa luta desenfreada, sempre estimulada por maus dirigentes e por alguns segmentos da imprensa esportiva, que prega o “mau caratismo”, como se fosse um troféu e para essa falta de hombridade e de ética criaram o temo “rasteira”,   concorreu para que no decorrer dos anos o nosso futebol fosse perdendo terreno com relação a Bahia e Pernambuco, ao ponto de nos nivelarmos a outros centros de menor tradição.

 

Cito sempre alguns exemplos que são palpáveis, com o Rio Grande do Sul, que idealizou o Clube dos 13”, pelo menos teve o primeiro presidente, em que Internacional e Grêmio se matam dentro de campo, mas fora dele caminham juntos em defesa dos seus próprios interesses e do futebol gaúcho.

 

São Paulo não é diferente, isto porque na busca da hegemonia do futebol brasileiro, o presidente à época da Federação Paulista de Futebol, década de 2000, Eduardo José Farah, emprestou dinheiro aos clubes para que fizessem grandes contratações, cujos grandes jogadores, a exemplo de Marcelinho Carioca, Edmundo, Djalminha, etc., foram distribuídos entre os principais clubes, com o objetivo de fortalecer o campeonato.

 

Na área internacional tenho citado o exemplo da Internazionale e do Milan que, há 77 anos administram conjuntamente o Estádio Giuseppe Meazza, também denominado de San Siro, em função do bairro em que está encravado, exemplo que deveria ser seguido pelo mundo inteiro e, de modo especial, por Fortaleza e Ceará.

 

Fica difícil defender essa parceria se nos espelharmos nos acontecimentos de ontem, em que o jogador do Ceará, o Leandro Carvalho começou a desrespeitar o Fortaleza e a sua torcida nas redes sociais, conduta que continuou a apresentar também em campo.

 

Não queremos defender o Derley, que poderia ter mantido a serenidade, contudo, além da nossa torcida ter sido chacoteada pelo jogador citado, este ainda agrediu  o nosso volante ainda com um  chute no traseiro, indiscutivelmente um mau exemplo para o torcedor que com certeza se acha no direito de fazer o mesmo.

 

E por que isso acontece? No meu singelo ponto de vista, porque os próprios dirigentes do nosso rival e o seu treinador, que ontem deu uma espécie de “abraço de tamanduá no Ceni”,  a quem já tinha ironizado e criticado,  estimulam essa postura e esse tipo de procedimento reprováveis.

 

O nosso rival quase centenário, porque os confrontos oficialmente somente completarão um século em 1920, num total desrespeito ao Fortaleza e numa demonstração de que lhe falta cavalheirismo, ética e fleuma,  cometeu a estupidez de ontem retirar a nossa estrela do emblema do Fortaleza no telão.

 

Em que pese não concordarmos com o Penta, que não existe, jamais os dirigentes do Fortaleza, enquanto mandantes, retiraram qualquer símbolo do escudo do nosso rival, razão por que apresentamos o nosso repúdio a esse ato de falta de nobreza a até mesmo de desvio de caráter.

 

A pergunta é simples: Nos jogos do Brasileirão o Ceará tirará as estrelas de todos os campeões brasileiros?  Continuarei defendendo a união, contudo recomendo ao nosso rival, que historicamente não se notabiliza exatamente pela lealdade,  que mude a sua postura, que não é precisamente de esportividade.

 

Recomendo-lhe que, ao invés de cassar a nossa estrela, orgulho do futebol cearense, que começa a crescer vez que já conta com 3 campeões nacionais, que lute para conquistar uma dentro de campo, ao invés de tentar solapar a nossa conquista memorável que, por enquanto é a maior do nosso futebol.

 

Ou fará isso ou passará a vida inteira   tão somente a cassar estrelas, tendo em vista que o  Tricolor que agora ganhou marra e confiança,  lutará pelo título da Série A e,  como clube obstinado e predestinado, com certeza, mais dias, menos dias, cravará outra estrela no peito.  

 

Por hoje c’est fini.

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.