Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

EMPATE HEROICO

27 May 2019

          O VASCO QUE JÁ TEVE ROMÁRIO FOI CASTIGADO PELO ROMARINHO (FOTO DIVULGAÇÃO)..

 

 

EMPATE HEROICO

 

O Fortaleza empatou com o Vasco em 1 x 1 dentro de casa,  após estar perdendo por 1 x 0 até os 43 minutos do segundo tempo e,  sob esse aspecto, podemos afirmar que foi um empate heroico, haja vista que foi conquistado no apagar das luzes e quando o time contava apenas com 10 jogadores.

 

O jogador Edinho sentiu um estiramento muscular aos 37 minutos do segundo tempo deixando o time desfalcado, com 10 jogadores, uma vez que as 3 substituições já haviam sido efetuadas.

 

Não há, portanto, como não reconhecer o esforço de cada jogador em campo após a sua saída, vez que todos tiveram que se desdobrar para preencher a lacuna por ele deixada,  por cerca de 12  minutos e o gol do Romarinho, decerto,  veio premiar esse esforço.

 

Demonstra ainda cabalmente que o Ceni estava certo ao apoiar o Romarinho,  no momento em que mais era espezinhado pela torcida,  concorrendo para que o mesmo adquirisse confiança e viesse a se transformar no “autor dos gols importantes”.  Foi assim contra o Santa Cruz e agora contra o Vasco.

 

O jogo em si foi de certa forma muito lento e sem muita criatividade no primeiro tempo em que o Vasco se fechou em Copas, passando a jogar nos contra-ataques e foi dessa forma que teve duas boas chances para marcar.

 

O Fortaleza, por sua vez, teve mais posse de bola, criou boas oportunidades e esse domínio absoluto das ações não redundou em gol porque os seus avantes, e esse é um problema infelizmente crônico, perderam oportunidades claríssimas de gol, duas delas frente à frente com o goleiro.

 

No sistema defensivo e de criatividade o time se complicava em razão dos erros excessivos de passe    por parte do Felipe e especialmente   pelo Juninho que tem um bom passe, mas que neste quesito  estava  irreconhecível.

 

Para complicar o  Nathan errou feio em cerca de 3 lances, tanto é que o gol do Vasco saiu de uma bola atrasada equivocadamente pelo citado jogador, que a deixou a caráter e no meio do caminho entre o atacante e o goleiro.

 

O atacante vascaíno foi mais rápido, driblou o Felipe Alves, que foi forçado a fazer o pênalti, não tendo nenhuma culpa no desfecho do lance.  A penalidade foi muito bem cobrada pelo Pikachu e por muito pouco o goleiro tricolor não a defendia.

 

Aos 43 minutos o Romarinho, que foi muito solicitado pela torcida, recebeu do Osvaldo e da entrada da área chutou forte e no canto direito do goleiro, para decretar o empate.

 

Em que pese alguns analistas pensarem o contrário, defendo a premissa de que, se tivesse um vencedor, por justiça, teria que ser o Fortaleza, pois foi o time que teve maior domínio de bola e que mais buscou a vitória, diante de um Vasco acovardado e encolhido.

 

Nesse campeonato, em que cada jogo é uma decisão, os pontos perdidos em casa têm que ser buscados fora de casa, embora os adversários das próximas rodadas sejam fortíssimos, a começar pelo Flamengo.

 

Quanto às críticas pelo fato do Fortaleza ter empatado com o lanterna, gostaria apenas de lembrar que o Tricolor bateu fora de casa  a Chapecoense que, na rodada seguinte, vencia o Cruzeiro, em pleno Mineirão por 2 x 1. Conclui-se que neste campeonato tudo e imprevisível.

 

Por hoje c’est fini.

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.