Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

A TRÍPLICE COROA JÁ É PASSADO – DORAVANTE A LUTA SERÁ AINDA MAIS RENHIDA.

31 May 2019

                                                    O NORDESTE É TRICOLOR!

 

A TRÍPLICE COROA JÁ É PASSADO – DORAVANTE A LUTA SERÁ AINDA MAIS RENHIDA.

 

O Fortaleza em termos de conquistas dos principais certames brasileiros, Série A, Série B, Copa do Brasil,  Copa do Nordeste, Copa Verde e internacionais,  finalizados no quarto trimestre de 2018, além dos campeonatos estaduais de 2019, quantitativamente situa-se à frente de todos os campeões.

 

O campeão da Série A de 2018 foi o Palmeiras, mas o campeão paulista foi o Corinthians e ambos não arrebataram nenhum outro título, de modo que cada um tem somente uma conquista.

 

O campeão da Série B de 2018 foi o Fortaleza, que além desse importante título sagrou-se Campeão Cearense de 2019 e da Copa do Nordeste  deste ano, totalizando três conquistas.  

 

O campeão da Série C de 2018 foi o Bragantino, que amealhou apenas essa conquista, vez que da divisão principal do paulista o campeão foi o Corinthians e das divisões secundárias foram campeões o Santo André e o Audax.

 

O campeão da Copa do Nordeste, conforme frisamos, foi o Tricolor que, além dessa conquista importante, colocou ainda  mais dois títulos no bisaco, ou no bornal,   Campeonato Cearense de 2019 e Série B de 2018.

 

O Paysandu conquistou a Copa Verde,   mas o campeão paraense foi o Remo, de modo que ambos têm apenas um título para ostentar.

 

O Campeão da Copa do Brasil, o Cruzeiro, que também ganhou o campeonato mineiro, somou somente duas conquistas, vez que a Série A foi vencida pelo Palmeiras.

 

O campeão da Sul-Americana foi o Athlético Paranaense, que também venceu o estadual, mas somou apenas duas conquistas vez que Palmeiras foi o campeão da Série A e o Cruzeiro da Copa do Brasil.

 

O ranking de conquistas  fica assim constituído: Fortaleza 3 títulos; Cruzeiro e Athlético Paranaense, 2 e Palmeiras, Bragantino e Paysandu, 1.

 

Após a conquista da Copa do Nordeste Rogério Ceni declarou que está muito satisfeito com o elenco que “comprou” a sua ideia, ou seja, se comprometeu de corpo e alma com o seu projeto de conquistas e com os objetivos do clube.

 

Nessa análise do grupo há que se concordar que uns respondem de forma mais rápida e mais efetiva e outros têm mais dificuldades de adaptação e, por essa razão, nem sempre têm muitas oportunidades na equipe, mas todos pontificam pelo elevado senso de profissionalismo.

 

Declarou ainda que o time precisa ser reforçado, no que concordamos em número gênero e grau, principalmente em posições específicas, ou pontuais como dizem os analistas, a exemplo da meia de ligação.

 

A jornada da Série A é longa e  os jogos, em decorrência do aperto do calendário da CBF, de muitas competições e pouco tempo, se sucedem com muita velocidade.

 

Para que tenhamos uma ideia O Fortaleza no mês que ora se finda fez 9 jogos em 29 dias, apresentando uma média de um jogo a cada 3 dias. Face a essa maratona a maioria dos jogadores se recente e fica mais suscetível de contusão, o Edinho é um exemplo.

 

O Fortaleza tem problemas no elenco de fácil identificação, a exemplo do compartimento de defesa em que tem somente a conta do chá.  O Quintero vem suportando o rojão e vamos torcer para que não se contunda, o que traria sérios problemas para o Rogério.

 

Falta uma meia de ligação que possa oferecer mais alternativas para o treinador, até porque estamos presenciando a cada jogo que o time tem muitas dificuldades para enfrentar retrancas.

 

Costumeiramente o  martela durante quase todo o tempo de jogo e, em que pese o domínio total das ações, as jogadas pelas pontas não estão sendo suficientes para furar os bloqueios, quase intransponíveis dos adversários.

 

Falta alguém com clarividência e capacidade para descobrir brechas onde ninguém as enxergam,  e para explorar esse corredor imaginário que somente os craques conseguem antevê-los, antes mesmo que apareçam, o chamado ponto futuro.

 

Isto posto, defendemos a premissa de que não deve ser contratado qualquer um e  apenas  para compor o elenco, pois esses existem aos montões.

 

Devem ser contratados, preferencialmente, atletas que sejam melhores dos que estão no Picí e que venham para fortalecer a equipe na busca do seu primeiro objetivo que é a permanência na Série A.  Fecho com essa ideia.

 

Por hoje c’est fini.

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.