Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

SI! ESTAMOS EN SUDAMERICANA!

13 Aug 2019

                                       BRUNO MELO ABRIU O CAMINHO PARA A VITÓRIA

 

 

SI! ESTAMOS EN SUDAMERICANA!

 

 

O anúncio oficial da contratação de Zé Ricardo foi feito na tarde de ontem, no site oficial do Fortaleza, o qual terá contrato vigente até o final da Série A. Estou entre aqueles que vão torcer para que o jovem treinador possa fazer um trabalho excepcional no clube e que,  similarmente ao Ceni,  venha para fazer parte de um projeto mais duradouro.

 

Qualquer um que se predisponha a fazer uma análise mais acurada da trajetória tricolor nos últimos anos concluirá, por certo,      que o time começou a evoluir à medida em que os treinadores passaram a ter vida mais longa no clube. Esse processo se iniciou com o Zago que,  em que pese ter ficado por pouco tempo, não retornou porque preferiu ficar mais perto da sua gente.

 

O Ceni, nos tempos modernos, se insere entre os treinadores de vida mais longa no Fortaleza, quebrando o velho paradigma, ou o padrão em voga há até pouco tempo, então determinante,  para que do clube contratasse de quatro a cinco treinadores por ano. Que continuemos no atual diapasão.

 

O Zé Ricardo receberá um time relativamente bem colocado na tabela, posto que antes de enfrentar o CSA se encontrava mais próximo da zona de rebaixamento do que da faixa da Sul-Americana, e que após a partida, ficou inserido entre os classificados para essa importante competição continental.  

 

Lembramos que o Tricolor, razão por que parabenizamos ao elenco e de modo especial ao Marconne Montenegro, pela primeira vez ingressa na faixa da Sul-Americana. Vejamos o desempenho tricolor nas 14 rodadas:  Na 1ª ficou em 19º lugar; na   8ª em 17º; Na 3ª e 4ª em 16º; na 2ª em 15º;   na 5ª, 6º,7ª, 9ª, 11ª, 12ª e 13ª ficou em 14º lugar. Na 10ª em 13º e na 14ª em 12ª (Sul-Americana).

 

Em termos de percentuais rememoramos que o Fortaleza, ou qualquer outra equipe que lute para se manter na competição, necessita de 1,21 pontos por jogo, esse percentual é histórico.

 

O Tricolor nesta rodada chegou a 1,2142   pontos por partida, extrapolando um pouco o número mínimo, motivo pelo qual se credenciou à Sul-Americana. A título de informação acentuamos que para a Libertadores o índice mínimo é de 1,55.

 

Foi uma partida de dois tempos distintos. No primeiro o Fortaleza, demonstrando um percentual de aproveitamento de 100%, no primeiro ataque mais efetivo assinalou o primeiro gol, através do Bruno Melo,    deslocado como se fora atacante para o primeiro pau. A partir desse gol toda a pressão foi para o adversário.

 

Pressionado pelo resultado o CSA se lançou ao ataque, acossando o Fortaleza,  que  se retraiu um pouco, oferecendo o campo de jogo ao adversário.  Ficamos um pouco apreensivos porque estávamos diante de um time muito compenetrado na marcação, mas que precisava ser um pouco mais ofensivo.

 

O segundo gol veio num cruzamento pela esquerda, em que o lateral esquerdo foi traído pelo pique da bola, ensejando que o Edinho, cara a cara com o goleiro, ampliasse o marcador, trazendo um pouco mais de tranquilidade para todos nós. À essa altura a minha pressão se encontrava a 14 x 8 e com tendência crescente.

 

No segundo tempo veio o alívio. O Fortaleza continuou firme na marcação, que adiantou um pouco, na chamada marcação alta e, para nossa alegria, começou a propor o jogo e a ser o senhor das ações, passando a administrar com sabedoria a vantagem excelente que havia construído no primeiro tempo.

 

Seguiu assim até o final do jogo e poderia inclusive ter ampliado, embora o CSA tenha tido uma chance claríssima para diminuir o marcador. Gostei muito do meio campo, em que o Juninho foi a grande estrela, seguido do Mariano e do Felipe, todos quase no mesmo pé de igualdade.

 

A defesa, que vem sendo bastante pressionada e criticada, pela segunda vez no campeonato não foi vazada, melhorando a sua performance e,  na frente o Romarinho foi o nome do jogo.  

 

Nas laterais o Gabriel ficou mais recuado proporcionando, porém, mais força de marcação à defesa e o Bruno Melo voltou muito bem, não somente pelo gol, mas pelo entrosamento com o Romarinho. No cômputo geral todos estiveram bem, especialmente o Edinho que vem adquirindo mais ritmo de jogo. Nota 9 para o time.

 

Por hoje c’est fini.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.