Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

FORTALEZA FEZ MUITO BEM O DEVER DE CASA!

2 Sep 2019

                                       FELIPE PIRES - MELHOR EM CAMPO -  FOTO/DIVULGAÇÃO

 

 

FORTALEZA FEZ MUITO BEM O DEVER DE CASA!

 

 

Nesses nove jogos realizados na rodada,    faltando Fluminense x Avaí, que será disputado hoje à noite, às 20 horas no Maracanã, somente dois não importavam ao Fortaleza, Flamengo 3 x 0 Palmeiras e Corinthians 1 x 0 Atlético Mineiro, por reunir clubes que estão no topo da tabela.

 

Os demais, similarmente ao embate de hoje,     eram por demais interessantes para o Tricolor, uma vez que  envolvia clubes com   os quais disputa posição. Ademais o Tricolor, que como dissemos tinha apenas um adversário entre ele e a zona de   descenso.

 

Após essa rodada e como prêmio por ter feito o dever de casa com louvores e  em decorrência da combinação de resultados favoráveis agora o Leão do Pici tem quatro: Cruzeiro, Vasco, Ceará e Goiás.

 

Dizíamos que na rodada anterior os matemáticos haviam errado, provavelmente pela primeira vez, 80% dos prognósticos e, desta feita estávamos torcendo para que acertassem a todos. Graças a Deus dos nove embates erraram apenas um, uma vez que previam o triunfo do São Paulo, que  detinha 51% de chances e prevaleceu o empate com 29%.

 

Acertaram na mosca, precisamente em 88% das previsões,       situação boa para o Tricolor, embora, no meu entendimento o melhor desfecho para Cruzeiro 1 x 0 Vasco seria o empate. Devemos, no entanto, nos contentar, visto que  não podemos ter tudo, ademais  os “deuses do futebol” foram muito benévolos para com o Tricolor.

 

O Fortaleza venceu com autoridade e poderia, se mais se empenhasse nesse sentido, ter feito um placar mais dilatado, pois a rigor, principalmente no primeiro tempo, praticamente não foi agredido pelo Goiás, que optou por jogar nos contra-ataques e em cima de alguns erros da nossa equipe, especialmente do meio de campo, que andou errando alguns passes.

 

No segundo tempo ficamos um pouco preocupados, porque o Fortaleza afrouxou a marcação, oferecendo o campo para o Goiás, que começou a pressionar, colocando uma bola na trave. Nesse período o time goiano esteve mais perto do empate do que o Tricolor do segundo gol.

 

O Goiás teve um jogador expulso pelo recebimento do segundo amarelo,  após  cometeu falta no Felipe Pires, que caminhava  célere em direção ao gol,  num contra-ataque de muita velocidade. Não obstante ter uma a mais o time, a princípio,  não soube tirar proveito desta vantagem, deixando o Goiás tocar a bola à vontade, como se estivesse com onze.

 

O Zé Ricardo fez três alterações entrando Edinho, Marlon e Osvaldo, este substituindo o Vasquez, que tinha cartão amarelo e que não havia encontrado a faixa ideal de campo para jogar, embora tenha tido boa participação.

 

O Marlon não entrou bem, o Edinho fez algumas boas jogadas, mas o Osvaldo, que mesmo não estando nos seus dias de mais inspiração, até por falta de ritmo, uma vez que é  muito mais incisivo, foi decisivo na marcação do segundo gol, uma pintura de trama.

 

Antes falemos do primeiro gol, nascido de jogada tipicamente ensaiada, em que o Tinga cruzou da intermediária direita para o Quintero, que penetrava pela área em diagonal, como se fora atacante e que chutou de primeira e colocado para vencer o goleiro, que me deu a impressão de ter pulado atrasado, o que não invalida a beleza do gol.

 

No segundo o Felipe Pires partiu em velocidade pela direita, entrou na área e cruzou com muita precisão, dando um passe açucarado para o Osvaldo estufar as redes. O Goiás acusou o golpe, de modo que o Fortaleza passou a dominar inteiramente as ações e a administrar o jogo.

 

O Tricolor criou ainda algumas oportunidades para ampliar, uma delas com o   Wellington Paulista, que pegando um rebote da defesa, chutou por cobertura, mas a bola,   caprichosamente,  encobriu o goleiro e o travessão.

 

O Zé Ricardo terá uma boa dor de cabeça, daquelas que todo treinador gosta, visto que,  desde o embate contra o Santos o  Felipe Pires demonstrou que tem vaga no time e se não bastasse têm importantes disputando posições: O Osvaldo, o Edinho, o Romarinho e o André Luiz, todos de muita qualidade e que atuam pelas  extremas.

 

Ninguém destoou na partida, embora os erros de passes precisem ser corrigidos, de modo que todos estiveram num excelente patamar, contudo, ficarei com o Felipe Pires como o melhor jogador tricolor em campo. Na próxima coluna analisaremos mais acuradamente esse triunfo.

 

Por hoje c’est fini.

 

  

 

 

 

O Fortaleza que fechou a 16ª rodada na 15ª posição, com 18 pontos, tendo entre si e a zona de rebaixamento

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.