Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

PRÓXIMAS 4 RODADAS UMA PROVA DE FOGO!

18 Sep 2019

 

 

PRÓXIMAS 4 RODADAS UMA PROVA DE FOGO!

 

 

Não tenho vocação para ser o “arauto das más notícias” e nem o Cavaleiro do Apocalipse. Gostaria imensamente de ser o mensageiro das boas novas, o emissor das mensagens otimistas, fazendo sempre uma    profissão de fé, mas nem sempre a realidade nua e crua me permite fazer essa escolha.

 

Quisera ser, lembrando uma das sete visões de Zacarias no templo, antes do aviso da concepção de João Batista,  um  “Cavaleiro do Exército Celestial” para trazer sempre mais esperanças para a Nação Tricolor. Que Deus se apiede de mim por tamanha blasfêmia, mas gostaria de ser o pregoeiro e o paladino das boas notícias.

 

Não posso me furtar, no entanto, de mergulhar na realidade que nos cerca para antever quatro rodadas consecutivas de extremas dificuldades para o Tricolor torcendo, porém, para que o nosso amado time saiba enfrentar a tempestade que se avizinha, com bravura e determinação, como sempre tem feito.

 

Fundamental para enfrentar esse aluvião que se aproxima e que pretende levar tudo o que encontrar pela frente de roldão, será apoio   da torcida e a união de todos os tricolores, formando uma corrente de fé que,   certamente,  levará o Fortaleza a ultrapassar essa enxurrada que o ameaça.

 

Falei em sentido figurado para expressar a minha preocupação, com relação ao Fortaleza, e não me alinho entre os   pessimistas, pois acredito piamente que possa vencer essas vicissitudes,  embora reconheça as dificuldades imensas que estão por vir nessas  quatro rodadas em que se digladiará com pesos pesados do nosso futebol.

 

No domingo, pela primeira rodada do returno, a vigésima, receberá o Palmeiras, que está no encalço do Flamengo pela liderança e que, por certo, virá com cara de poucos amigos. Faz-se  mister que o Tricolor seja alimentado por uma boa dose de confiança para conquistar a vitória que almejamos.  E por que não?

 

Na quinta, dia 25,  enfrentará fora de casa o Atlético Paranaense, que está na final da Copa do Brasil, cujo título, será decidido hoje, no jogo de volta, com o Internacional, jogando pelo empate por ter vencido a primeira por 1 x 0. Fico na dúvida se será melhor enfrentar um Atlético ferido ou, por outra, embevecido pela conquista.

 

O Fortaleza não estará enfrentando o time qualquer, mas uma “equipe de chegada” e que na quinta-feira,   mesmo que esteja comemorando o título inédito da  Copa do Brasil, ou lastimando a perda,  certamente estará focado na obtenção de um bom resultado no  Brasileirão.

 

O time paranaense tem 26 pontos e no domingo enfrenta o Vasco e se vencer chegará a 29 e,  uma vitória sobre o Fortaleza poderia deixa-lo com 32 pontos e a um passo da vaga para a Pré-Libertadores. É evidente que a nossa análise se baseia em   números atuais, que podem mudar a cada rodada.

 

Na 22ª rodada o Tricolor recebe em casa o Botafogo, que conseguiu um empate sofrido com o Ceará e que tem 27 pontos e que está a 5 pontos à frente que, por enquanto,  o excluem do nosso campeonato.

 

Essa diferença pode encurtar na eventualidade do Fortaleza vencer o Palmeiras, indo a 25 pontos e o Botafogo perder para o São Paulo, permanecendo com 27, de modo que a diferença entre ambos cairá para 2 pontos, configurando-se o confronto entre ambos como o chamado “jogo de seis pontos”. É tudo o que queremos.

 

Fechando as quatro primeiras rodadas, possivelmente as mais difíceis desse Returno, o Tricolor fora de casa enfrentará o São Paulo, um time ora muito mais encorpado do que aquele que nos bateu por 1 x 0,  na nossa casa, fruto de um erro clamorosa da nossa defesa, que redundou na chamada “bola vadia”.   

 

Serão 12 pontos dificílimos em disputa, mas confiamos que o Fortaleza conquiste, pelo menos 50%, até porque em termos defensivos está mais robustecido, tanto é que nos seis últimos jogos sofreu apenas 6 gols, apresentando um índice de 1,2 gols por partida, enquanto até à 14ª rodada esse índice era de  1,42.

 

Sabemos que ao abordarmos esse assunto poderemos não agradar aos que têm aversão às estatísticas, contudo, historicamente um time cuja defesa apresente um índice de 1,2 está mais propensa a continuar na competição do que aquele que sofre 1,42.

 

Essa evolução defensiva, ao que tudo indica está relacionada ao fato de que o Quintero e o Jackson “casaram muito bem na defesa”,    como a “Mão e a Luva”, para lembrarmos Machado de Assis. A prova de fogo será nessas próximas 4 rodadas, aliás um teste para o Fortaleza inteiro.

 

Por hoje c’est fini.

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.