Desenvolvido por:

(88) 9 9776 7362

© 2016 por "Fortaleza Sempre". Orgulhosamente criado com Go Gestor

"ATRÁS DO TRIO ELÉTRICO SÓ NÃO VAI QUEM JÁ MORREU"!

29 Oct 2019

 FOTO DIVULGAÇÃO - www.ivoviuauva.com.br

 

 

‘ATRÁS DO TRIO ELÉTRICO SÓ NÃO VAI QUEM JÁ MORREU”!

 

 

Faltando 1º rodadas para o final, mais do que nunca é chegada a hora de fazermos contas, aliás fazer conta é praticamente uma necessidade básica de analistas, torcedores, comissão técnica, enfim, de todos os envolvidos numa competição, pois mesmo que alguns treinadores neguem e venham com o jargão dos mais batidos do que a contagem será feita jogo a jogo é pura balela.

 

Essas frases de efeito de jogadores, treinadores e diretores me levam a fazer a ilação com o refrão de uma música de carnaval que diz “atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu”, para contextualizar a minha tese de que, em qualquer divisão do brasileirão só não faz conta que já não aspira mais nada”. Enquanto existir a esperança a máquina de calcular seguirá junto.

 

Restando somente 10 etapas, evidentemente que alguns times entre os que brigam contra o descenso poderão melhorar o desempenho, assim como alguns podem cair de produtividade, isto porque a performance de cada um dependerá indiscutivelmente do grau de dificuldades que enfrentarão nessa fase final.

 

 

Fizemos um levantamento das próximas quatro rodadas que, além de importantíssimas e com possibilidade de termos algumas definições, coincide com o confronto entre Fortaleza e Ceará, em que pode ser um jogo de vida ou morte para ambos, ou uma partida em que o empate não será ruim para ninguém, no chamado “jogo de compadres”, difícil de ocorrer, porém não impossível.

 

Nesse tipo de “tramenha” para usarmos o sinônimo popular de tramoia a Alemanha é mestra. Em 1974 sendo bem mais forte do que a Alemanha Oriental, perdeu deliberadamente para a mesma por 1 x 0, resultado que classificou as duas, mas que a colocou numa chave bem mais fraca, livrando-a de Brasil e Holanda, para cuja chave foi a Oriental. Essa estratégia a levou a ser a campeã.   

 

Bem, mas no nosso caso, não podemos antever como estarão os nossos dois clubes daqui a 4 rodadas, principalmente o Fortaleza que naquela partida será o mandante e terá 70% da torcida a apoiá-lo.

 

Para que o Tricolor se saia bem depende apenas de si, visto que dos 4 jogos que disputará, incluindo o de amanhã, precisa vencer 2 para ficar numa boa situação, vez que alcançaria os  38 pontos e ficaria necessitando de tão somente mais dois triunfos, em 8 jogos. Enfrentaremos nessas 4 rodadas Avaí, fora de casa, Atlético Mineiro em Casa, Corinthians fora e Ceará em campo neutro.

 

É evidente que o Fortaleza, que tem 38,1% de eficiência, em mantendo esse percentual, nos próximos 30 pontos em disputa somará 11 e fechará 44, ficando virtualmente classificado, porém ainda não dependendo apenas de si.

 

Para ficar tranquilo terá que progredir no seu desempenho enquanto visitante, vez que no Primeiro Turno venceu uma partida e empatou 2 e até agora tem apenas 1 empate, por sinal, o último contra o Cruzeiro tendo, pois,  que vencer mais um confronto e empatar outro para igualar o seu desempenho nos dois turnos. Esperamos que esta vitória surja contra o Avaí.

 

Para que o Tricolor consiga melhorar o seu desempenho o equilíbrio entre todos os setores será fundamental.  No Primeiro Turno chamamos muito a atenção,  e provavelmente desagradamos a alguns, não porque quiséssemos criticar, mas para alertar para a necessidade de melhorar a eficiência de cada compartimento, mormente do setor defensivo.

 

Para obtermos a classificação para 2020 esses cuidados continuam sendo essenciais, de modos que no nosso entendimento, e não estamos sendo exigentes, a equipe precisa melhorar um pouco mais na sua produtividade e novamente como sinal de alerta vamos comparar o percentual de pontos conquistados no Turno com os amealhados nas 9 rodadas do Returno.

 

No primeiro turno o Fortaleza, em 19 jogos somou 22 pontos, apresentando um índice de conquistas de pontos por jogo de 1,15.  Multiplicando-se  esse índice por 38 rodadas, resultaria que,  ao  término das mesmas somaria 43,7 pontos e estaria virtualmente classificado, não sendo, contudo, o desempenho ainda ideal.

 

No Returno, em 9 rodadas o time conquistou 10 pontos apresentando um índice por jogo de 1,11. Projetando da mesma forma esse índice sobre os 10 jogos restante  somaria mais 11,1 pontos que, adicionados aos 32 atuais,  produziriam um montante de 43,1, montante que poderia comprometer a sua classificação.

 

Não fazemos guerra de nervos, contudo, sentimo-nos na obrigação de demonstrar e trazer à tona essas estatísticas para que a própria equipe tenha uma dimensão do que precisa fazer para conquistar os seus objetivos.  Em síntese tgerá que chegar a um desempenho de 42% para não depender de nenhuma combinação de resultados.

 

Por hoje c’est fini.

 

       

 

  

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
POR TRÁS DO BLOG
Advíncula Nobre

Advíncula Nobre, colaborava com o site Razão Tricolor e quando esse encerrou, passei a colaborar com os Leões da Caponga, que também encerrou as atividades, quando então ainda residindo em Guarabira (PB), resolvi criar o site para publicar a Coluna do Nobre, que eu já publicava no Leões da Caponga. Isso aconteceu há cerca de 11 (onze) anos. Sou formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, turma de 1989 e funcionário aposentado do Banco do Brasil. Torço pelo Fortaleza Esporte Clube desde Outubro de 1960 e comecei a frequentar o Estádio Presidente Vargas, na condição de menino pobre na "hora do pobre". O estádio abria 15 minutos antes do término da partida para que os menos favorecidos tivessem acesso. Foi assim que comecei a torcer pelo Fortaleza. Morei em Guarabira (PB) por 27 anos e sempre vinha assistir a jogos do meu time. Guarabira (PB) dista 85 Km de João Pessoa capital Paraíbana e 650 km de nossa cidade Fortaleza (CE). Também morei em Patos (PB), Pau dos Ferros (RN), Nova Cruz (RN) União (PI) e Teresina (PI). Também cursei Administração de Empresas e Direito, em virtude de transferências, não terminei essas duas faculdades. Era o meu emprego e o pão de cada dia ou as faculdades.